fbpx

Mesmo sem vencer Fluminense diminui chances de queda

Foto: Divulgação

A rodada pode não ter sido tão boa para o Fluminense, mas isso muito em conta do próprio Tricolor, que não venceu sua partida. Pois seus adversários direto na briga pelo rebaixamento também não venceram.

Os resultados foram tão bons que mesmo com o empate diante do Vasco, o Fluzão viu suas chances de queda diminuírem de 61% para 56%, e mais, viu encurtar a distância para Botafogo e Ceará, além de manter a mesma diferença para o Cruzeiro.

Botafogo e Ceará, que perderam na rodada, para Santos e Palmeiras respectivamente, se mantiveram com 33 pontos. Já o Cruzeiro, que empatou com o Bahia, chegou aos mesmos 33 pontos.

O Fluminense, com o empate, foi a 31, e, caso vença o São Paulo, na próxima quinta-feira (7), tem grandes chances de deixar o temido Z-4.

Após nova derrota chance de rebaixamento do Fluminense já ultrapassa os 50%

Foto: Lucas Merçon/FFC

Após mais uma derrota no Campeonato Brasileiro, dessa vez, 2 a 0 para o Ceará, o Fluminense viu suas chances de rebaixamento aumentar e ultrapassar os 50%.

Há quatro rodadas sem vencer, com três derrotas e um empate, o Flu pulou de 12% na 25° rodada, para 52% atualmente.

Tirando Avaí e Chapecoense que possuem, segundo os matemáticos, 99% de chances, e o CSA, recém promovido à Série A, tendo 62%, o Fluminense é o clube com mais possibilidades de queda.

Cruzeiro e Botafogo que ainda jogam hoje, possuem 46% e 8% respectivamente. Ceará que venceu o Fluminense na rodada, diminuiu para 18%, enquanto Atlético MG e Fortaleza possuem 8% e 5% respectivamente.

Risco de queda despenca após reação do Fluminense no Campeonato Brasileiro

A invencibilidade de cinco jogos, com três triunfos em sequência, deu ao Fluminense um pouco de tranquilidade no Campeonato Brasileiro. Em 14º lugar, com 29 pontos e a quatro da zona de rebaixamento, o Tricolor tem 12% de risco de queda à segundona.

Houve uma enorme redução nos números, anteriormente mais assustadores. A calculadora chegou a indicar 78% depois da 17ª rodada – a derrota para o Avaí; 49% na virada do turno – a goleada para o Goiás; e, após o 1 a 0 sobre o Botafogo, 20%. Mesmo assim, o matemático Tristão Garcia aconselha a equipe a não dar bobeira.

— Ainda não dá para relaxar de jeito nenhum, porque o campeonato é muito difícil. O que pode mudar esses números é o Fluminense voltar a perder pontos para adversários diretos, como perdeu para Avaí e CSA — disse ao GloboEsporte.com.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Com dois triunfos seguidos, Fluminense vê diminuir chance de rebaixamento

O jogo contra o Cruzeiro (18º), quarta-feira, no Mineirão, é crucial na campanha do Fluminense (15º) contra o rebaixamento. Mas os triunfos sobre Grêmio e Botafogo, em sequência, ajudaram a equipe a, ao menos, respirar no Campeonato Brasileiro. Com 25 pontos, abriu três de vantagem sobre o Z-4.

O novo cálculo de Tristão Garcia aponta 20% de risco de queda à Série B. Houve uma considerável redução nos números, anteriormente mais assustadores. A calculadora chegou a indicar 78% depois da 17ª rodada e 49% na virada do turno.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fora do Z-4, Fluminense tem 49% de risco de queda à segundona

Ao vencer o Corinthians por 1 a 0, na virada do turno, o Fluminense conseguiu deixar a zona de rebaixamento, mas ainda não se livrou do “fantasma” do rebaixamento.

Em 16º lugar, com 18 pontos, o Tricolor, conforme calculado pelo matemático Tristão Garcia, tem 49% de chance de cair. Quer dizer que houve uma redução se comparado ao cálculo do início do mês, depois da 17ª rodada (derrota por 1 a 0 para o Avaí, no Maracanã), quando se apontou 78%.

Na próxima rodada, o Time de Guerreiros fará confronto direto com o Goiás (15º), com 44% de risco de queda. Dos 20 clubes da Série A, nesse momento, somente os seis primeiros estão salvos da Série B de 2020.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

A dois pontos da lanterna, Fluminense convive com 78% de chance de rebaixamento

Com campanha semelhante à de 2009, ano em que se salvou da segundona por um milagre, o Fluminense caminha para um fim de temporada melancólico. Em 18º lugar, com só 12 pontos, o Time de Guerreiros fica a dois do lanterna Avaí, de quem perdeu por 1 a 0 no Maracanã, e a seis do Cruzeiro, primeiro acima da zona de rebaixamento. De acordo com o matemático Tristão Garcia, o risco de queda é de 78%.

– O número é perfeito, mas ainda falta muito tempo, são 22 rodadas para jogar. Mais para frente é que esse número preocupa mais. Ainda há chance de recuperar e não brigar por isso até o fim do campeonato. Esse número ainda pode ser reduzido nos próximos jogos, antes do returno. Se esses dados fossem na rodada 25, aí sim seria muito preocupante – disse Tristão, completando:

– O Fluminense tem 12 pontos em 16 jogos. Ele leva quatro jogos para fazer três. Se ficar nesse ritmo, ele chegaria na 28ª rodada com 21 pontos. Para se ter uma ideia, seria menos do que na arrancada histórica de 2009, quando chegou com 22 pontos. Foi quando tinha 98% de risco, mas naquelas últimas 10 rodadas fez mais do que nas 28 anteriores.

Até o fim do mês de setembro, a equipe viajará o país para enfrentar Fortaleza (07/09), Palmeiras (10/09), Corinthians (15/09) e Goiás (23/09). O jogo contra o Alvinegro seria no Maracanã, mas a diretoria vendeu o mando e o transferiu para o Mané Garrincha, em Brasília. Assim, o próximo compromisso diante da torcida será no dia 25, contra o Santos.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: GloboEsporte.com.

Angioni define como “confortável” a situação do Flu no Brasileirão

Embora admita um certo temor, dirigente não acredita em riscos maiores ao Flu.

O diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni concedeu uma coletiva nesta sexta-feira (16), onde abordou diversos assuntos. Dentre eles, o dirigente falou da péssima fase do tricolor no Brasileirão, que fez com que a equipe tivesse um desempenho de Z-4 nas últimas seis rodadas. 

Apesar de admitir um certo temor com a proximidade da degola, Angioni definiu a situação do Flu como “confortável”:

– Diante das afirmações dos matemáticos após a rodada, estamos em situação mais confortável. Com 44 pontos está fora do rebaixamento. Temos 12 pontos em disputa ainda. O retrospecto ruim traz temor. Mas acreditamos que podemos resolver isso antes das rodadas finais. O Fluminense teve bons resultados há pouco tempo, há chance de reverter esse quadro e vamos atrás disso. A rodada nos deu um pouco mais de certeza de que isso não vai nos preocupar tanto. Uma vitória simples sobre o Ceará nos livra dessa sombra – comentou o dirigente.

Vale ressaltar que a expectativa dentro do clube é de resolver a permanência na série A antes da partida de volta da Copa Sul-Americana, dia 28 contra o Atlético Paranaense.

 

foto: Lucas Merçon

Derrotado pelo Vasco no sábado, Fluminense vê chance de rebaixamento aumentar

Com a derrota para o Vasco, sábado, por 1 a 0, o Fluminense (décimo colocado, com 40 pontos) perdeu a oportunidade de selar sua permanência na primeira divisão, a seis rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, e deixou dois rivais se aproximarem: o Botafogo e o próprio Cruz-Maltino. Não apenas isso: viu a matemática jogar contra, uma vez que, no momento, ela aponta 4% de risco de rebaixamento, segundo Tristão Garcia. Há uma semana, o mesmo matemático calculou apenas 1% de chance.

– Era bastante importante vencer o Vasco. Não temos uma situação definida no campeonato, então precisamos manter a concentração e estar com o melhor em campo sempre. Ele (Marcelo Oliveira) nos manteve atentos e em alerta, e procuramos fazer o nosso melhor dentro de campo. Os detalhes decidem o clássico. Infelizmente, hoje pesou a favor deles – lamentou Jádson, que finaliza:

– Faltam seis rodadas, pode acontecer muita coisa. Uma pré-Libertadores ou, se cochilar, pode se aproximar muito da parte de baixo da tabela. Tem que entrar em campo sempre para vencer. O resto é consequência.

Após a partida do fim de semana, Marcelo Oliveira disse, em entrevista, que, apesar do foco maior ser a Sul-Americana, o Brasileirão continua sendo preocupação no Fluminense. Afinal, o time enfrenta clubes que lutam contra a degola, como Sport e Ceará, e que ocupam as primeiras opções, como Palmeiras, líder do campeonato, e Internacional. A distância para o Z-4, hoje, é de seis pontos.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

 

Matemático diz que Fluminense ainda corre risco de rebaixamento em 2018

A poucas rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, os torcedores estão com a calculadora em mãos e preocupados com o futuro de seus times nesta temporada. Quem também começou as projeções sobre a tabela foi o matemático Tristão Garcia, que dá o Paraná como rebaixado (com 99%) e só vê mais três vagas para a Série B do ano que vem.

A disputa contra a degola começa no Fluminense, o décimo colocado, com 40 pontos. De acordo com os cálculos de Tristão, o clube tem apenas 1% de chance de figurar entre os quatro últimos. Mas o foco nas Laranjeiras continua sendo de alcançar, pelo menos, 46 pontos. Goleado pelo Santos no fim de semana, o time de Marcelo Oliveira enfrenta, sábado, o Vasco, no Maracanã. Ocupando o 13º lugar, os cruz-maltinos somam 35 pontos e têm 40% de chances de cair.

– Ainda temos de estar atentos para chegar à pontuação de se livrar do risco. Ainda é possível chegar na Libertadores, mas a prioridade ainda é nos livramos de qualquer risco da parte de trás – disse o técnico, há uma semana, depois de vencer o Atlético-MG.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

 

Top