Angioni classifica a prioridade na manutenção da base como: “manter o que acertou”

O diretor de futebol do Fluminense concedeu uma entrevista exclusiva aos setoristas do time das Laranjeiras pelo Globoespoete.com, Héctor Werlang e Felipe Siqueira, onde esclareceu vários pontos do Time de Guerreiros, entre os quais, o esforço na manutenção da base para 2020, na qual classificou como: “manter o que acertou”.

O Fluminense trabalhará em 2020 com uma folha do mesmo tamanho da de 2019. Mas dará o direito de alongar um pouco os contratos e fazer contratos mais longos. Mas, para isso, não pode errar. E para isso precisa se manter o que acertou – e está tentando se manter o máximo – e discutir contratações pontuais, pela necessidade da chegada de um novo treinador com uma nova filosofia de jogo – comentou o dirigente.

Em relação a dois nomes que tem se mostrado as renovações mais complicadas, Allan e Caio Henrique, o dirigente confessou uma certa falha do Tricolor:

Com relação ao Allan e o Caio, realmente, poderíamos ter proposto uma continuidade (na época da assinatura), mas também tivemos uma preocupação grande em talvez não ter um valor bastante alto para uma possível negociação futura e talvez isso possa ter atrapalhado um pouco. Mas são coisas que acontecem no futebol – disse.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC