fbpx

Digão garante apoio do grupo a Rodolfo: “Não estamos aqui para julgar”

Flagrado em exame de doping por suposto uso de cocaína, o goleiro Rodolfo negociou com a diretoria, por norma legal, a suspensão do contrato com o Fluminense. Ele não pediu a contraprova, onde poderia contrariar o resultado do primeiro exame, o que indica que assume culpa.

Poucas horas após a veiculação da notícia, o zagueiro Digão, um dos líderes do elenco, postou em rede social mensagem de apoio ao companheiro.

– Bora, irmão. Você é guerreiro! Sei que o momento é delicado, mas se mantenha firme. Não estamos aqui para te julgar e sim para estender a mão. O grupo está com você.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense confirma doping do goleiro Rodolfo

Foto: Lucas Merçon/FFC

Por meio de uma nota oficial, o Fluminense confirmou que o goleiro Rodolfo, de 24 anos, foi pego no exame antidoping, após o jogo entre Fluminense x Atlético Nacional, da Colômbia, realizado no dia 23 de maio no Maracanã, válido pela Copa Sul-Americana.

Ainda de acordo com a nota, o próprio goleiro abriu mão da contra prova, ficando suspenso voluntariamente, tendo ainda seu contrato de trabalho suspenso. O clube contudo colocou seu Departamento Jurídico à disposição do jogador e informou também que dará todo o suporte necessário ao goleiro.

Veja a nota na íntegra:

O Fluminense Football Club informa que o goleiro Rodolfo Alves de Melo foi flagrado no exame antidoping após a partida Fluminense x Atlético Nacional (COL), pela Sul-Americana, realizada em 23 de maio de 2019 no Maracanã. O clube e o atleta já realizaram uma reunião e uma petição foi apresentada à Conmebol, onde o jogador abriu mão da contraprova se colocando suspenso voluntariamente, para se dedicar exclusivamente à sua defesa. O Fluminense já colocou seu Departamento Jurídico à disposição do jogador que, por norma legal, teve o contrato de trabalho suspenso.  A instituição dará todo o suporte necessário ao atleta.

Tá mais que na hora de mudar o goleiro

No empate tricolor diante do Cruzeiro na noite de ontem, novamente, o goleiro Rodolfo foi vítima de muitas vaias. Afinal, o clube mineiro teve uma finalização e um gol o jogo inteiro. Nesse único lance, Pedro Rocha saiu quase cara-a-cara com o arqueiro tricolor e marcou o gol do time celeste.

Pedro Rocha e Fred comemoram o gol sobre o Fluminense (Foto: Jornal Alerta)

O que chamou a atenção foi que a bola chutada por Pedro, era altamente defensável. Além de estar em média altura, ela ainda encostou na mão de Rodolfo, fazendo-o ser chamado de “mão-de-alface” por muitos torcedores nas redes sociais.

O goleiro, após o lance, foi sempre muito vaiado pela torcida ao tocar na bola, mostrando a insatisfação não pelo erro dessa partida, como de outras no ano em que Rodolfo falhou.

Talvez não seja hora de dar chances à algum outro goleiro?

Vamos às opções:

De Amores – Goleiro uruguaio que se destacou pelo Liverpool-URU na Sulamericana de 2017, foi contratado ano passado à pedido de torcida e chegou com status para ser o camisa 1 e sujeito à ídolo. Porém, nunca chegou à entrar em campo e só foi relacionado para o banco uma vez. Sofreu com diversas lesões no joelho e cirurgias, o que impossibilitou de entrar em campo. Esse ano, já recuperado de tudo, treina com o elenco e tem contrato até o fim do ano, emprestado pelo Boston River-URU. Eleito melhor goleiro do mundia de clubes sub-20 em 2011, De Amores era a opção para substituir o goleiro Muslera na seleção uruguaia e visto como uma enorme promessa no país. Já passou da hora de receber uma chance e provar o seu valor.

De Amores só treina no Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Agenor – Contratado no início da temporada, proveniente do Guarani, o goleiro só atuou na derrota por 3×2 para o Flamengo na Taça Rio, onde o Flu jogou com o time todo reserva. Nada pode fazer nos três gols e ainda fez defesas difíceis. Sua forma física, quando chegou, foi muito criticada por estar acima do peso. Segundo Diniz, ele também sabe jogar com os pés.

Agenor em ação contra o Flamengo (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Marcos Felipe – Goleiro da base tricolor, ficou conhecido por pegar um pênalti no estadual de 2017 contra o Volta Redonda. Nos vídeos de treinamento de goleiros que o clube geralmente posta, o jogador parece estar em boa forma física e com os reflexos em dia. Merecia uma chance para provar ou não, que pode ter espaço no tricolor.

Marcos Felipe ainda não teve chances com Diniz (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Apesar de Rodolfo, segundo Diniz, saber jogar com os pés melhor do que qualquer outro da posição, suas recentes falhas vem colocando a posição do arqueiro titular em cheque.

Será que a mudança vai acontecer? Só o tempo dirá!

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Crédito da Foto Inicial: Fluminense FC/Lucas Merçon

Rodolfo frisa importância de não abdicar do estilo de jogo: “Não podemos desarrumar”

Goleiro elogiou o modelo proposto pelo treinador Fernando Diniz

Foto: Lucas Merçon / FFC

Após sair perdendo por 3 a 0 em apenas 20 minutos de jogo, o Fluminense mostrou um poder de reação incrível e conseguiu uma virada épica em Porto Alegre. A vitória por 5 a 4 sobre o Grêmio deu ao Tricolor os três primeiros pontos no Campeonato Brasileiro e rendeu uma escalada de sete posições na tabela de classificação. Depois do término da partida, Rodolfo destacou a importância do time não abdicar do estilo de jogo proposto por Fernando Diniz, mesmo estando atrás do placar.

“Não podemos desarrumar. Não podemos perder nunca o modo que a gente joga. Diniz sempre bate nessa tecla, independente do resultado, se estiver perdendo ou ganhando, a gente vai jogar e sair jogando ali de trás. Só no final, que estávamos tentando segurar o resultado porque vimos que o jogo estava acabando, que comecei a chutar bola para frente. Mas quando estava empatado, nós estávamos saindo jogando, trocando passes para tentar ganhar o jogo”.

Agora, o embalado Fluminense terá a semana inteira para se preparar para o clássico contra o Botafogo, no próximo sábado (11), às 16h (de Brasília), no Maracanã. O duelo será válido pela quarta rodada do Brasileirão.

“Abençoado” ao pegar dois pênaltis, Rodolfo reconhece má atuação no Arruda

Pressionado durante o jogo, o Fluminense perdeu para o Santa Cruz por 2 a 0 no tempo normal e levou a decisão da vaga à próxima fase da Copa do Brasil para os pênaltis. Foi graças a Rodolfo, que pegou dois pênaltis, que o time garantiu a classificação. Ao sair do campo, ele, porém, deixou o “heroísmo” de lado e reconheceu a má atuação no Arruda.

– Nosso time é muito ofensivo. Às vezes, fica vulnerável atrás. Tivemos erros, detectamos isso no primeiro tempo… só que sofremos os gols no segundo. Era para ter perdido de mais. Graças a Deus eu estava em noite boa. Fui seguro nas bolas paradas durante o jogo e, nos pênaltis, fui abençoado. E a gente conseguiu a classificação.

– A gente esperava uma pressão e um time diferente deles. Eles jogaram nos nossos erros. Sem tirar o mérito deles, mas a gente errou bastante. Temos de trabalhar mais para isso não acontecer mais – concluiu o goleiro, em entrevista ao SporTV.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Flu perde pelo mesmo placar do Maracanã e Rodolfo vira herói nos pênaltis

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Fluminense entrou em campo com vantagem de ter vencido no Rio por 2 a 0 podendo perder por diferença de 1 gol, após apagão no sistema defensivo no segundo tempo o Santa Cruz abriu o placar com Jô e ampliou com Pipico tirando a vantagem tricolor levando a partida para os pênaltis. Rodolfo defendeu cobranças de Marcos Matins e Willinan Alves e tricolor venceu por 3 a 2.

O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio e belas defesas dos dois goleiros, logo no inicio o Santa pediu pênalti em Pipico e de forma acertada o juiz mandou seguir. Aos 12 em triangulação Everaldo deixou Luciano de frente que chutou pra fora, ainda no primeiro tempo Rodolfo e a trave salvaram o Flu.

Na segunda etapa Anderson salvou o Santa por duas vezes em tentativas de Luciano e Gilberto. O Santa Cruz abriu o placar aos 27, na cobrança de falta de Charles, João Victor desvia e a bola sobra para Jô impedido bater sem chance para Rodolfo. Dois minutos depois, no vacilo da zaga do Fluminense, Augusto dispara e tenta driblar Rodolfo, que consegue desviar, mas a bola cai nos pés de Pipico que amplia tirando a vantagem do tricolor.

Nos pênaltis brilha a estrela do goleiro tricolor defendendo os pênaltis de Marcos Matins e Willinan Alves. Charles bateu pra fora, Pipico e Guilherme Queiroz fizeram para o Santa. Pelo lado do Flu, Luciano, Pedro e Airton marcaram e Anderson pegou cobrança de Gilberto. No fim Flu 3 a 2 nos pênaltis e classificado para as oitavas de finais da Copa do Brasil. O Tricolor agurda sorteio para saber quem será seu próximo adversário na competição.

ST,

Guga Assis

Fluminense nega acerto com goleiro e reitera confiança em jogadores do elenco

Foto: Maílson Santana/FFC

Depois de vazar a notícia de um possível acerto verbal entre Fluminense e Walter, goleiro atualmente na reserva do Corinthians, o Tricolor veio a público e fez questão de negar o acerto com o jogador corintiano.

Através de uma nota divulgada na tarde desta quinta-feira (11) pelo clube, a direção destacou que os atuais goleiros do elenco (Rodolfo, Agenor e Marcos Felipe, além de De Amores, se recuperando de lesão) têm toda a confiança da comissão técnica e da própria direção do clube.

Além disso, o clube foi categórico e afirmou não buscar nenhum jogador para a posição no mercado atualmente.

Acompanhe a nota divulgada pelo Fluminense:

O Fluminense não tem interesse em contratar goleiro. A diretoria de futebol reforça a confiança nos profissionais da posição que tem no elenco atualmente.

Falha ? Diniz não culpa goleiro pela eliminação do Flu no Estadual

Foto: Divulgação/FFC

Apontado pela grande maioria da torcida do Fluminense como o grande vilão da eliminação para o Flamengo após, segundo os torcedores ter falhado no gol de empate rubro-negro, marcado por Gabriel Barbosa, o goleiro Rodolfo recebeu um apoio do técnico Fernando Diniz.

Mesmo não dizendo claramente se o goleiro falhou ou não, Diniz deixou bem claro que mesmo que tenha havido a falha do goleiro, Rodolfo não pode ser apontado como o responsável pela eliminação:

– Não revi o lance e não conversei com o Rodolfo. Não podemos colocar responsabilidade em um jogador só. Não perdemos ou ganhamos por causa de um jogador – declarou o treinador

Rodolfo revela conselho de Diniz para Fla-Flu e contesta declaração de Cuéllar: “Vamos entrar para ganhar o jogo”

Rodolfo quer travar o clima tenso que vem marcando os duelos entre Fluminense e Flamengo em 2019. Nesse sábado, os rivais jogam o clássico mais decisivo do ano até o momento, valendo vaga na final do Campeonato Carioca. E, segundo o goleiro, a recomendação de Fernando Diniz é ignorar o juiz, as provocações e apenas jogar bola.

– Depois do último Fla-Flu, conversamos bastante. Diniz e a comissão técnica conversaram conosco para, nesse jogo, esquecermos um pouco isso e só sabermos de jogar bola. Temos que colocar tudo na ponta da chuteira e eu, da luva. Temos que esquecer o juiz, deixar ele apitar, independentemente se terá erro ou não. Temos que esquecer provocação do Flamengo. Temos que entrar para ganhar esse jogo – disse, em entrevista nesta sexta-feira.

Uma declaração do volante Cuéllar, do Fla, gerou a primeira polêmica do quarto reencontro entre os times. Ele disse que seu clube carrega a “obrigação” de ser campeão carioca, após a conquista da Taça Rio. Rodolfo lembrou que os rubro-negros têm os tricolores pelo caminho.

– Se ele está falando da obrigação deles de vencer… Eles vão pegar o Fluminense. Eles têm que passar pela gente primeiro. Tudo vai ser decidido amanhã. Se ele falou que eles têm obrigação… A gente vai entrar para ganhar o jogo.

Vencer hoje representa, também, fôlego ao caixa do Fluminense, que vive crise financeira. Só pela ida à final, embolsaria R$ 1,5 milhão, podendo ainda receber R$ 3,5 milhões em premiação caso se torne o ganhador desta edição do torneio. Mas Rodolfo garante que a questão extracampo, sobretudo quanto aos salários atrasados, não acompanha os jogadores no Maracanã.

– Questão financeira aqui no Fluminense já é questão desde 2017. Eu vim para cá para jogar. Conquistei a titularidade, estou tendo continuidade, graças a Deus, e procuro honrar a camisa do clube independentemente do que possa acontecer a mais. Vou entrar em campo querendo ganhar do Flamengo, sem pensar em dinheiro, sem pensar em mais nada, pois estou representando muita gente ali dentro do campo.


CONFIRA MAIS RESPOSTAS DO GOLEIRO RODOLFO:

Ausência de Paulo Henrique Ganso

– Fará falta, principalmente, na criação. Ganso é um excepcional jogador e nos ajuda muito na criação do meio. E agora vem nos ajudando também na marcação. Está evoluindo bastante nisso. Será uma perda grande, mas tenho certeza que quem entrar vai dar conta do recado, como os que estão entrando, que estão entrando bem.

Tensão nos Fla-Flus

– Clássicos são muito complicados. Tem a rivalidade dentro de campo e você não quer perder de jeito nenhum. Então acaba passando para outros fatores além do jogo. Temos que trabalhar isso para não acontecer mais. Temos que saber de jogar bola. Não temos que ficar brigando dentro de campo. É esquecer juiz, esquecer adversário e jogar bola para ganhar o jogo.

Desgaste pelas viagens

– Viagem após viagem você fica cansado. Chegamos quinta-feira após a meia-noite, nem vi meus filhos e já tivemos que vir para o treino para depois concentrar. Acaba gerando um pouco de estresse também.

Trabalho psicológico

– É para esquecermos o que possa nos prejudicar, como arbitragem, rivalidade dentro de campo, que sempre nos deixam mais tensos. Nos ajuda bastante. Para esse jogo, terá um papel essencial.

Pontos fracos do Flamengo

– Como o Flamengo tem pontos vulneráveis, temos também. Viemos estudando eles desde o primeiro jogo, o Diniz vem passando vídeos… Assim como eles devem estar nos estudando também. Diniz está sempre reformulando o trabalho dele no dia a dia, aprimorando, passando coisas novas, para podermos driblar os adversários.

Gols no fim

– Provavelmente por conta do cansaço que bate no fim do jogo. Os times se desgastam muito e chega no fim do jogo e bate aquela desatenção. Nosso time tem que estar atento em todos os minutos do jogo. Sempre que você tiver desatento no fim do jogo, você tomará um gol. Ainda mais em um clássico.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Rodolfo elogia atuação do Fluminense, mas lamenta gol relâmpago sofrido: “Falha generalizada”

Foto: Mailson Santana / FFC

Neste último domingo (17), Fluminense e Botafogo fizeram o primeiro ‘Clássico Vovô’ do ano, no Maracanã. Em um jogo franco, as equipes empataram em 1 a 1. Com o resultado, o Tricolor se manteve na liderança do Grupo A da Taça Rio e ultrapassou o Flamengo na classificação geral do Campeonato Carioca. Após a partida, Rodolfo falou com a imprensa e lamentou a desatenção do time no início do segundo tempo. Após dominar a etapa inicial, o Fluminense sofreu o gol de empate menos de um minuto após voltar do intervalo.

“Levamos o gol com menos de um minuto. Foi um lapso, uma falha generalizada. Isso não pode acontecer, temos que ficar atentos. Jogamos melhor, tivemos mais chances, saímos tristes pelo empate”, afirmou o goleiro.

O lateral-direito Gilberto, titular absoluto da equipe, assumiu que a sequência de jogos vem gerando um desgaste, e que é necessário descansar e virar a chave para o duelo contra o Antofagasta, no Chile, válido pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Foto: Lucas Merçon / FFC

“Com certeza pesa a quantidade de jogos, principalmente para mim, que fiquei parado muito tempo. Estou conseguindo fazer uma sequência boa de jogos. Precisamos descansar e pensar no jogo do Chile”, afirmou.

Top