Libertadores, salários em dia e patrocínio master; confira as dez principais prioridades do Flu para 2021

Com a virada do ano, diretoria e elenco tricolores enfrentam vários desafios para terminar a temporada em alta. O jornal Lance, em sua versão online, listou quais devem ser as dez principais prioridades do Flu neste começo de 2021.

Confira:

1- Renovação de Marcos Paulo: Fluminense e o estafe do jogador estão em conversas para ampliar o contrato, válido até o meio de 2021. Em janeiro, o jovem poderá assinar pré-contrato com outra equipe, mas o Flu luta para não perder uma de suas maiores apostas de graça na janela de transferências.

2 – Patrocinador master: há dois anos e meio sem uma marca na parte mais importante da camisa, o Fluminense chegou perto de fechar um negócio, mas esbarrou em garantias bancárias. A última empresa a ocupar o espaço foi a “Valle Express”, de janeiro a agosto de 2018, em contrato rescindido por falta de pagamento.

3 – Vaga na Libertadores: tentando retornar à competição continental depois de oito anos, o Fluminense terá em janeiro e fevereiro os últimos meses da temporada. A equipe atualmente está em sétimo e tenta voltar a vencer para entrar novamente no G6. A outra torcida é para que se torne G7 ou G8.

4 – Salários em dia: uma das prioridades da diretoria tem sido o pagamento dos salários, mas no início de 2021 isso será ainda mais importante. Em acordo com os jogadores, o Flu prometeu deixar os vencimentos em dia até março. Por isso, o Flu terá que acertar 20% dos salários de março, 50% de abril, 1/3 das férias também em abril, 13º de 2020, dezembro, janeiro e fevereiro.

5 – Planejamento: o primeiro jogo do Fluminense no Campeonato Carioca será quatro dias após o último no Brasileirão. Portanto, a diretoria precisará agir rápido com relação ao elenco. Caio Paulista, Hudson e Felippe Cardoso tem contrato apenas até o fim de fevereiro. Wellington Silva fica até junho.

6 – Treinador: a diretoria tricolor confia no trabalho de Marcão e pretende mantê-lo até o final do Brasileirão. No entanto, a cúpula está de olho nos resultados do Fluminense para começar a pensar no treinador para a próxima temporada. Sendo ou não Marcão, o clube precisará fazer um novo planejamento com o nome escolhido.

7 – Finanças: este é um desafio de todos os anos no Fluminense. Apostando principalmente na venda de jogadores, o clube pode ver joias como Marcos Paulo e Luiz Henrique deixarem as Laranjeiras em breve para ajudar os cofres.

8 – Fase final do Carioca: o orçamento previsto pelo Fluminense para 2021 não foi ousado nas projeções dos resultados nas competições. O mais otimista foi chegar à fase final do Campeonato Carioca. Portanto, para iniciar bem a próxima temporada, o Flu precisará recuperar rápido o fôlego para ir bem no Estadual.

9 – Retomar o crescimento do sócio: depois de uma campanha que deu mais de 10 mil associados ao Fluminense em dois meses, o clube estagnou e vem caindo em seu programa de sócio-torcedor. Sem bilheterias neste primeiro momento, o Flu espera voltar a ampliar esse número de torcedores e, quem sabe, enfim lançar os novos planos.

10 – Continuar valorizando a base: em 2020, 12 jogadores criados em Xerém fizeram suas estreias no time profissional do Fluminense. A tendência é que em 2021 esse número permaneça alto.

Foto: Maílson Santana/ FFC

Fluminense quita mês de agosto e parte dos direitos de Imagens

O Fluminense acertou junto ao elenco os 25% restantes dos salários em CLT de agosto dos jogadores. A diretoria também pagou 50% dos direitos de imagem de junho e a parcela integral de julho, como informou o site ST.com.

Desta forma ainda fica em aberto os vencimentos em CLT de setembro e os Direitos de Imagens de agosto e setembro. Vale destacar que bora já tenhamos chegado ao fim de outubro, o salário deste mês só vence no quinto dia útil de novembro, próximo dia 9, assim como os Direitos de imagem, que só vencem na metade de novembro.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fluminense quita salários de agosto aos jogadores e funcionários

O Fluminense acertou nesta terça-feira (13) 75% dos salários referente ao mês de agosto, ficando agora apenas o de setembro em atraso.

Além dos 25% restantes de agosto, ainda estão em aberto os salários de setembro, que venceram na semana passada, e os direitos de imagem desde junho.

Foto em destaque: Divulgação

Fluminense quita 50% dos salários de julho para jogadores e funcionários

O Fluminense quitou nestes segunda-feira (28) os 50% dos salários ao jogadores e funcionários do clube referente ao mês de julho, quitando assim o mês inteiro, uma vez que a outra metade já havia sido paga.

Com isso fica em aberto agora apenas o mês de agosto, uma vez que os vencimentos de setmmbro só vencem no quinto dia útil de outubro.

Fluminense quita parte de salário de funcionários e jogadores referente a julho

O Fluminense segue lutando para manter as contas em dia e, nesta sexta-feira (11) conseguiu mais um importante passo: o pagamento de 50% do salário dos jogadores referentes ao mês de julho.

Além disso, o clube ainda quitou mais 20% dos salários dos funcionários CLT (totalizando 50%, uma que haviam recebido 30% no final de agosto) e 50% dos funcionários PJs (Pessoa Jurídica) – também relativos ao mês de julho.

Vale destacar que resta ainda a outra metade do salário dos jogadores, além dos vencimentos de agosto e os direitos de imagem dos últimos três meses (junho, julho e agosto) dos atletas.

Já em relação aos funcionários, ainda estão em aberto a outra metade de julho e agosto completo.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Salários de maio e junho são pagos e Flu fica em dia com jogadores e funcionários

Fluminense quitou, nesta terça-feira (28), os meses de maio e junho a jogadores e funcionários, ficando em dia com o que foi combinado com o grupo com relação aos vencimentos referentes à CLT. Foram pagas também parcelas de direitos de imagem de dezembro, janeiro e o restante de fevereiro, restando em aberto apenas as de maio e junho.

Com relação ao mês de junho, o Tricolor havia acertado com os atletas pagar, em um primeiro momento, 75% do salário, e o restante até o fim do ano. Posteriormente, a direção fez uma nova proposta para a renúncia dos 25% e aguarda a resposta do elenco. Vale lembrar que o mês de maio também teve o corte do mesmo percentual conforme acordo efetuado em abril em razão da pandemia de coronavírus.

A folha de julho vence apenas no quinto dia útil do próximo mês, que cai em uma sexta-feira, dia 7 de agosto.

Fonte: Globoesporte.com

Fluminense paga parte do salário de abril para atletas e funcionários

O Fluminense acertou na última terça-feira (30) metade do salário referente a abril de atletas e funcionários, sendo que jogadores, conforme já haviam combinado no início da pandemia, recebem metade agora e o restante em dezembro

A informação foi divulgada pelo site NetFlu, que confirmou ainda que a outra metade deve ser paga nos próximos 20 dias.

Desta forma, além do restante do valor referente a abril, ainda fica em aberto o mês de maio (com redução de 25% no salário dos atletas) e muito em breve junho, que vence no próximo dia cinco de julho. Junho inclusive ainda será com redução. Apesar de na negociação com o elenco ficar acordado que os jogadores receberiam de forma integral quando a bola voltasse a rolar, os jogadores decidiram manter a redução ainda no mês de junho, voltando ao valor integral em julho.

Além disso, o clube deve ainda férias e metade do fundo de garantia a boa parte do elenco.

Foto: Divulgação/FFC

Fonte: Netflu

Flu agiliza para pagar salário de abril até a próxima semana

Evitando acumular os débitos com seus funcionários, a cúpula Tricolor trabalha para quitar parte dos vencimentos referente ao mês de abril, já na próxima semana.

Vale lembrar que, para os atletas tricolores, o salário de abril será pago integralmente, com 50% desse valor sendo depositado em dezembro, como foi acordado entre as partes. Já com relação ao mês de maio, haverá uma redução de 25% do valor.

A folha de pagamento do mês de junho vence no próxima quinto dia útil. A tendência é de que o pagamento seja integral tendo em vista a volta do Campeonato Carioca. Anterior a paralisação, os atletas e comissão técnica haviam acordado de que o corte nos salários seriam até a retomada dos jogos.

Fonte: NetFlu
Foto: Divulgação

Sem acordo com a Ferj, jogadores do Flu mantém redução salarial

O Fluminense segue firme na posição de não entrar em campo nas datas marcadas pela Ferj (22 e 25 de junho) e para isso, conta com o apoio dos jogadores, que além de criarem um manifesto, contra a volta da competição, também concordaram em seguir com a redução salarial.

De acordo com o portal UOL, no acordo celebrado em março entre jogadores e a direção do clube que estabeleceu a redução salarial dos atletas, foi acertado que os moldes seria redescutido em junho caso a pandemia ainda impossibilitasse a volta aos jogos. Em caso de volta das partidas, os atletas já receberiam o valor integral.

Contudo, mostrando estar alinhados com a diretoria na ideia de não entrar em campo nas datas definidas, os jogadores através de vozes ativas do elenco, como Digão, Muriel, Henrique Hudson, Nenê e até do recém chegado, Fred, assim como de mais jovens como Nino e Igor Julião, decidiram em manter os salários reduzidos, com os vencimentos devendo continuar com os descontos de 25%.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Fluminense paga parte de salários referente a março

Mesmo com todas as dificuldades financeiras, principalmente depois do isolamento social causado pelo novo Coronavírus (Covid-19), o Fluminense vem se rei ventando e buscando alternativas para arcar com a folha.

E, de acordo com informações do portal Netflu, o tricolor conseguiu nesta segunda-feira (1) acertar mais 20% dos valores referente a março, totalizando agora 60% dos vencimentos do referido mês. Além dos 40% que falta de março, falta também os vencimentos total de abril e férias.

Vale destacar que embora já temhamos entrado em junho, maio só fecha de fato no próximo dia 5.

Vale destacar ainda que o clube arrecadou fundos na reprise do Tetra Campeonato Brasileiro no último domingo, quando vendeu mais de 28 mil ingressos virtuais para a partida. No entanto, ainda não se sabe se esse valor já foi usado ou ainda será aplicado, uma vez que parte dele seria usado para o pagamento dos funcionários que recebem até quatro salários mínimo.

Foto em destaque: Divulgação/FFC