fbpx

Técnico da seleção peruana desmente problemas com Fluminense

A edição de sábado do jornal “Líbero”, do Peru, informou a insatisfação da seleção peruana com o tratamento no Centro de Treinamento do Fluminense durante o treino de sexta-feira. Além da impossibilidade de usar a sala de imprensa, o diário relatou a necessidade de dividir vestiário com elenco da base do clube, o que aconteceu devido ao atraso da delegação na chegada ao local. No entanto, o técnico Ricardo Gareca desmentiu o suposto descontentamento.

– Foi tudo bem. Sobretudo quanto à organização, não temos nada a dizer. Cumpriram todas as pautas, nos sentimos muito confortáveis. No Brasil, até o momento, sempre estiveram bem conosco, muito amáveis. Pode haver alguma coisa, mas é o normal neste tipo de organização, da magnitude do evento. Não tenho nada a dizer (sobre treino no Fluminense). Trabalhamos em um tempo com muito vento e chuva, essa foi a parte ruim. Mais nada.

A pedido do Peru, a última atividade antes da final da Copa América, contra o Brasil, passou para o Nilton Santos. Por outro lado, o Comitê Organizador disse não ter recebido reclamações formais. Através de nota, os tricolores se pronunciaram sobre a polêmica.

“Em atenção ao que informou a seleção Peruana de Futebol Profissional o Fluminense Football Club tem a dizer que entende seu momento, pois enfrentará a Seleção Brasileira – e treinar no campo do Fluminense é estar no campo adversário – mas garante que o CT foi disponibilizado de acordo com todas as cláusulas contratuais acordadas e aceitas por todas as seleções”.

No referido treinamento, o Fluminense presenteou os peruanos com camisas oficiais, como já havia feito com uruguaios e argentinos, impulsionando o Time de Guerreiros para o noticiário sul-americano. A estrutura do CT, que ainda abrigou o Catar na primeira fase, ganhou diversos elogios durante o torneio.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Finalista da Copa América, Peru ganha camisas do Fluminense em último treino no CT

Na chegada ao Centro de Treinamento da Barra da Tijuca, na manhã desta sexta-feira, os jogadores do Peru ganharam camisas oficiais do Fluminense, a exemplo do que ocorrera anteriormente com as seleções argentina e uruguaia. As ações repercutiram nas redes sociais e levaram o nome do clube ao noticiário sul-americano.

A equipe alvirrubra, que havia treinado no local ainda na fase de grupos, voltou ao Rio de Janeiro para encarar o Brasil na final da Copa América, domingo, no Maracanã. Goleiro sensação do torneio, Gallese foi flagrado por vídeo da FluTV admirando o uniforme. Assista:

Os presentes foram entregues antes das queixas dos peruanos ao Tricolor. Reclamaram da impossibilidade de usar a sala de imprensa e as banheiras de hidromassagem, que ficaram sob chuva, e de precisar dividir instalações como academia e vestiário com jogadores da casa. Insatisfeita, a seleção encerrá a preparação para o jogo de domingo com atividade no Nilton Santos, neste sábado.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Peru cancela entrevista, divide estrutura e decide trocar CT do Fluminense pelo Nilton Santos

A seleção peruana, finalista da Copa América, ficou na bronca com o Fluminense durante o treino da manhã desta sexta-feira, no Centro de Treinamento da Barra da Tijuca. Insatisfeito, o adversário do Brasil na decisão de domingo encerrará sua preparação no Nilton Santos, sábado.

O dia começou com atraso de mais de meia-hora da delegação do Peru na chegada ao CT, por culpa do temporal que cai no Rio de Janeiro. A primeira desavença se deu em razão da impossibilidade de a seleção realizar entrevista na sala de imprensa, já em uso pelo clube.

“Pedimos desculpas pelo ocorrido hoje. Sabemos que havíamos oferecido entrevista, mas a sala de imprensa será utilizada pelo Fluminense, apesar de termos informado nossa programação com a devida antecedência”, comunicou a equipe alvirrubra aos jornalistas.

Os peruanos ainda precisaram dividir o vestiário com tricolores, que treinam de olho na retomada do Campeonato Brasileiro, dia 15, contra o Ceará. Também houve reclamação quanto à área de recuperação física, cujas banheiras de hidromassagem ficaram sob chuva.

Em resposta às queixas, o Fluminense explicou que não havia recebido pedido para liberar a sala de imprensa, mas que chegou a oferecê-la. Ainda mencionou que era sabido em contrato que a academia teria de ser compartilhada por conta da presença de seus jogadores.

Além do Peru, que voltou ao CT após utilizá-lo na fase de grupos, mais três seleções – Argentina, Catar e Uruguai – trabalharam nas instalações do clube. Estas, porém, não economizaram elogios à estrutura.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top