Pela Superliga, Fluminense faz o “jogo de ”seis pontos” contra o Barueri

O Fluminense enfrenta o Barueri Voleyball Club, nesta quinta-feira (03/03), às 19h30, no Ginásio Sportville, em Barueri (SP), pela nona rodada do returno da Superliga Feminina, em jogo que vale o sexto lugar na tabela de classificação. As duas equipes estão empatadas com 32 pontos, mas o Tricolor leva desvantagem no critério desempate e ocupa a sétima colocação.

No primeiro turno da Superliga, o Fluminense levou a melhor no Ginásio João Coelho Netto, em Laranjeiras, e faturou três pontos ao vencer por 3 sets a 1. A oposta Kimberlly foi a maior pontuadora daquela partida, com 22 pontos.

“O estilo de jogo do Barueri é muito parecido com o nosso, de velocidade. Precisamos ter atenção e intensidade o tempo todo e fazer bom saques para tentar quebrar a velocidade delas. Não vai ser uma partida fácil, mas que já estamos acostumadas a jogar”, disse Kimberlly.

Fluminense e Barueri já se enfrentaram nove vezes na Superliga Feminina, com três vitórias para o Tricolor.

Transmissão

A partida terá transmissão ao vivo em pay per view pelo Canal Vôlei Brasil e o torcedor tricolor pode utilizar o código FLUMINENSE10 para ganhar 10% de desconto na assinatura. Parte do valor é repassada ao clube.

Jogo contra o Brasília Vôlei será o primeiro do Fluminense em 2022

O Fluminense já tem definida a data do seu primeiro jogo no ano. Depois da partida contra o Osasco São Cristóvão Saúde ser adiada devido aos casos de covid-19 no time paulista, o Tricolor fará sua estreia em 2022 contra o Brasília Vôlei, na próxima sexta-feira (14/01), às 20h, na casa do adversário, pela segunda rodada do segundo turno da Superliga Feminina. Inicialmente, essa partida estava marcada para o dia 20 deste mês.

A partida pelas quartas de final da Copa Brasil também ganhou nova data: dia 18 de janeiro. O adversário do Fluminense sairá do duelo entre Osasco e Itambé Minas, no dia 14, em jogo adiado da décima rodada do primeiro turno da Superliga.

A nova data para a partida contra o Osasco, válida pela primeira rodada do returno, ainda será marcada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV).

A mudança de datas e a estreia tardia em 2022 acabou agradando ao técnico Guilherme Schmitz, que ganhou mais uma semana para treinar a equipe após a parada para o réveillon.

“Voltar das festas de fim de ano e ter a oportunidade de treinar por uma semana é maravilhoso. Podemos dar ritmo ao time e treinar a parte física e técnica sem pressa. Como o jogo contra o Brasília será apenas na sexta-feira, ainda teremos a semana que vem para trabalhar e criar um lastro para ter perna para disputar esse returno, que vai ser ainda mais pegado que o primeiro turno”, explicou Guilherme Schmitz.

O preparador físico tricolor Rafael Jesus também comemorou o tempo extra para trabalhar.

“Com essa semana sem jogo ganhamos tempo para fazer um trabalho forte de potência e de recondicionamento anaeróbico das atletas. Se tivéssemos que jogar nesta sexta, teríamos que trabalhar em uma intensidade menor durante a semana“, finalizou Rafael Jesus.

Superliga: Com desfalques, Flu perde por 3 sets a 0 para Minas

Desfalcado de três atletas e ainda sem poder contar com Mari, o Fluminense não resistiu ao ainda invicto Itambé Minas e foi derrotado por 3 sets a 0, parciais de 25/14, 25/14 e 25/23, nesta sexta-feira (20/11), na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG), pela quarta rodada da Superliga Banco do Brasil feminina de vôlei. Julia, Dayse e Bruna Moraes foram as maiores pontuadoras do Tricolor, com sete pontos cada uma.

O Fluminense já embarcou para Belo Horizonte desfalcado da oposta Arianne, que torceu o tornozelo direito na estreia contra o São Paulo Barueri, e da ponteira Mayara, que testou positivo para COVID em exame realizado na terça-feira passada (17/11). Já na capital mineira, o time ainda perdeu a levantadora Giovana, com dores nas costas.

Diante de tantas baixas, o técnico Hylmer Dias antecipou a estreia de Fernanda Tomé. A ponteira, no entanto, em fase final de recuperação de uma lesão muscular na panturrilha esquerda, ficou pouco tempo em quadra. No terceiro e último set, com Tomé e Natasha juntas, o Tricolor teve seu melhor momento no jogo, fazendo 23 pontos na parcial.

Com o adiamento do jogo contra o Sesc RJ Flamengo, que aconteceria na próxima terça-feira (24/11), o Tricolor tem uma semana até a partida contra o líder da Superliga Dentil Praia Clube, dia 28 (sábado), às 19h, na Arena Praia, em Uberlândia (MG).

O Fluminense começou o jogo com: Rose, Fran, Julia, Dayse, Juli Lazcano, Bruna Moraes e Andressa.
Entraram: Fê Tomé e Natasha.

Foto: Orlando Bento/MTC

Superliga: Flu estreia nesta terça contra São Paulo Barueri

O Fluminense estreia na Superliga Banco do Brasil 2020/2021 nesta terça-feira (10/11), contra o São Paulo FC Barueri, às 17h, no ginásio de Laranjeiras, em partida fechada ao público devido à pandemia da Covid.  A central argentina Juli Lazcano, um dos principais reforços do time para a temporada, esta confiante para o primeiro duelo na competição.

“Estou ansiosa, quero jogar. No Estadual ainda tínhamos pouco tempo de treinamento e na Superliga poderemos mostrar muito mais do nosso jogo. Ainda não teremos o time completo, mas estou muito confiante para a estreia. Precisamos entrar em quadra focadas para começar bem”, analisou Juli.

Para a partida, o técnico Hylmer Dias ainda não poderá contar com Fernanda Tomé e Mari, que realizou seu primeiro treino no clube nesta segunda-feira (09/11).

Transmissão

O jogo terá transmissão ao vivo em pay per view pelo Canal Vôlei Brasil e o tricolor pode utilizar o código FLUMINENSE10 para ganhar 10% de desconto na assinatura. Parte do valor é repassada ao clube.

FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.

Reunião entre CBV e clubes decide por encerrar a Superliga 2019/2020

Pandemia do coronavírus impediu a disputa da fase final da competição e ranking da primeira fase será respeitado; Fluminense fica com a sétima colocação

A Superliga Banco do Brasil feminina de vôlei está oficialmente finalizada. Em reunião realizada nesta quinta-feira (19/03) através de videoconferência, seis clubes, incluindo o Fluminense, e a Comissão de Atletas votaram pelo fim da disputa devido a pandemia do coronavírus (COVID-19). Assim, o ranking final da fase de classificação será respeitado e não há um campeão declarado. Apenas Sesi Bauru e Itambé/Minas foram a favor de esperar para tomar uma decisão.

O diretor de esportes olímpicos do Fluminense, João Mandarino, que representou o clube na reunião, ficou satisfeito com a decisão tomada.

“Foi uma decisão sensata. Foi muito difícil de ser tomada, mas se fez necessária em função da realidade que estamos vivendo hoje. Não ficamos satisfeitos, mas fomos coerentes”, afirmou Mandarino.

O técnido tricolor Hylmer Dias também concordou com o desfecho da reunião.

“Infelizmente, não é o que gostaríamos. Mas tudo que está acontecendo é muito maior que as competições esportivas. Temos que superar isso para podermos voltar a vida normal”, explicou o treinador.

A central Leticia Hage, capitã do time e há quatro temporadas no Fluminense, fez questão de destacar o papel de dirigentes e atletas no combate ao coronavírus.

“É triste ter esse fim precoce, sendo que ia começar a fase que treinamos tanto para alcançar. Mas não tinha outro jeito. A Europa inteira, por exemplo, tomou a mesma decisão quanto aos seus campeonatos. Não faria sentido o mundo lutando contra algo tão grave, que exige empatia e que fiquemos em casa, e as competições rolando, com viagens, aglomerações. Então, a decisão foi super correta e dentro do esperado. Agora é cada um fazer sua parte como ser humano, não como profissional”, finalizou Leticia.

Veja o ranking final da temporada 2019/2020 da Superliga feminina de vôlei:

1º Dentil/Praia Clube (MG)

2º Sesc RJ

3º Itambé/Minas (MG)

4º Sesi Vôlei Bauru (SP)

5º Osasco/Audax/São Cristóvão Saúde (SP)

6º São Paulo/Barueri (SP)

7º Fluminense (RJ)

8º Curitiba (PR)

9º Pinheiros (SP)

10º Flamengo (RJ)

11º Valinhos Vôlei (SP)

12º São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP)

Texto: Comunicação/FFC
Foto: Mailson Santana/FFC

Fluminense terá time na Superliga Masculina de Vôlei

A CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) confirmou na última terça-feira (13) a participação de 26 equipes na edição de 2019 do Campeonato Brasileiro Interclubes, o equivalente a Superliga C de vôlei masculino, com a participação do Fluminense.

A disputa já está confirmada para o dia 30 de setembro a 6 de outubro e, após a definição das sedes será divulgada a forma de disputa que será realizada pela primeira vez em parceria com o Comitê Brasileiro de Clubes (CBC).

Contudo, já é sabido que os finalistas garantirão vaga na Superliga B.

Fluminense vence São Caetano pela Superliga Feminina de vôlei

Foto: Divulgação/FFC

Tricolor fez 3 sets a 0 sem muita dificuldade.

O Fluminense entrou em quadra na noite desta sexta-feira (08) para enfrentar o São Caetano pela 10° rodada da Superliga Feminina de vôlei e, sem sustos aplicou um 3 sets a 0 no time paulista. Parciais de 25×16 / 25×19 e 25×18.

O Tricolor terá agora mais dois desafios antes de encerrar a primeira fase da competição. O primeiro, nesta terça-feira (12), encara o Osasco, novamente no Hebraica. Já na sexta-feira (15), fecha a primeira fase contra o Barueri, no ginásio Panela de Pressão.

Feminino do Flu inicia campanha na Superliga de vôlei

Estreia será fora de casa contra o Pinheiros.

A equipe de vôlei feminina do Fluminense inicia sua participação na Superliga 18/19 nesta sexta-feira (16) conta o Pinheiros, em São Paulo.

Buscando levar o torcedor para dar um apoio a mais para as guerreiras, o clube das Laranjeiras fez uma promoção onde distribuirá pulseiras para a área reservada ao Flu no ginásio do rival. E para o torcedor adquirir a cortesia, basta comparecer ao ginásio com o uniforme Fluzão. Mas atenção: a cortesia será distribuída apenas para os 60 primeiros torcedores à partir das 18h e 30.

Já a partida terá início às 20h.

 

foto: Mailson Santana