Fluminense vai ao mercado e contrata ex Fortaleza Carlos Larocca para base

O Fluminense foi ao mercado em busca de um nome para integrar a comissão técnica da base e contratou o técnico Carlos Larocca, ex-Fortaleza.

Ele comandou a equipe Sub-17 do clube cearense de 2019 até 2021, conquistando recentemente o Campeonato Cearense e a Copa Seromo.

Ainda não foi definido porém se ele irá ser auxiliar na categoria Sub-17 ou Sub-16. As equipes já estão trabalhando em Xerém, visando o início das competições.

Foto em destaque: Thais Pontes.

Fonte: Fluminense Stuff

Repórter crava acerto entre Fluminense e Roger Machado

O Fluminense está muito próximo de anunciar o nove treinador, que vai assumir a equipe na próxima temporada. E segundo o jornalista Gérson Júnior, da Rádio Brasil, será mesmo Roger Machado.

Ainda de acordo com Gérson Júnior, Roger só deve chegar no Rio de Janeiro no final do mês, porém, o anúncio oficial pode acontecer nos próximos dias, quando deve assinar um contrato até o final de 2022.

O atual técnico do Flu, Marcão, falou da possível chegada do treinador após o jogo da última quarta-feira:

Não sei. O presidente já anunciou? Estamos igual a vocês. Se acontecer, é um cara super do bem. Se vier vai contar com a ajuda do Marcão e todos que estão nesse processo. Vamos esperar nossa diretoria decidir. Na hora que definir, vai ser recebido de braços abertos no clube – disse Marcão.

Vale destacar que o treinador está livre no mercado desde que foi demitido do Bahia, em setembro de 2020.

Foto em destaque: Divulgação

Fluminense já iniciou conversas com Roger Machado, que pode assumir o clube após o Brasileirão

O Fluminense já abriu conversas com o treinador Roger Machado, que pode assumir o clube após a disputa do Brasileirão, no final de fevereiro.

Segundo o site GE, Roger também teve conversas com o Athletico-PR, no entanto, a proximidade do Fluminense em garantir uma vaga à Libertadores deve ser um fator decisivo na decisão do treinador, que está livre no mercado desde que deixou o Bahia, em setembro do ano passado.

Na última semana, o apresentador e amigo pessoal de Mário Bittencourt, Edilson Silva, já havia falado da grande possibilidade de Roger assumir o Flu, chegando a dizer que ele só não seria técnico do Tricolor se não quisesse. Essa inclusive não é a primeira vez que Roger tem seu nome ligado ao Fluminense. Em janeiro, o portal NetFlu noticiou que o treinador era o plano A para assumir o Flu após o Brasileirão, porém, o próprio clube desmentiu a informação na ocasião.

Gaúcho de Porto Alegre, Roger Machado encerrou a carreira de jogador pelo Fluminense em 2008 e ficou marcado na história do clube ao marcar o gol do título da Copa do Brasil de 2007. Como treinador, Roger já acumula passagens por Grêmio, Atlético-MG e Palmeiras, além do Bahia, seu último clube.

Foto em destaque: Divulgação/Bahia

Segundo jornalista, Roger Machado deve ser o novo técnico do Flu: “Só não assume se não quiser”

Atualmente na quinta colocação do Campeonato Brasileiro, o Fluminense deve trocar de técnico ao final do Brasileirão, com Marcão e Ailton voltando ao comando do time sub-23. Diante disso, o nome mais cotado para assumir o clube na próxima temporada é o de Roger Machado, ex jogador do próprio Fluminense e autor do gol do título da Copa do Brasil de 2007.

Quem informou foi o apresentador do programa “Os Donos da Bola”, Edilson Silva, conselheiro do Fluminense e amigo pessoal do presidente Mário Bittencourt.

Edilson revelou o desejo do Tricolor em contar com Roger, durante uma participação no programa “Resenha de Primeira“, exibido no YouTube, no canal do jornalista Christian Baeta.

Edilson Silva ainda disse que o Fluminense já havia tentado a contratação de Roger Machado antes mesmo de contratar Odair Hellmann, em dezembro de 2019. Confirmou também uma nova tentativa após a saída do próprio Odair, no final de 2020, mas que foi novamente negada. O apresentador ainda afirmou que Roger Machado só não acertará com o Tricolor se não quiser.

O último trabalho do treinador foi no Bahia, onde foi demitido em novembro de 2020. Roger acumula ainda passagens por Grêmio, Atlético-MG e Palmeiras.

Gustavo Murínigo testa positivo para a Covid-19 e não treina o Coxa contra o Fluminense

Próximo adversário do Fluminense, o Coritiba sofreu uma baixa para o jogo desta quarta-feira (20): o técnico Gustavo Murínigo, que testou positivo para a Covid-19.

Além do treinador, os auxiliares Roberto Acuña e Martin Paolorosso, e o preparador físico, Gonzalo Llano, também testaram positivo e segundo nota divulgada pelo clube, já estão em isolamento domiciliar

Sem Morínigo, o auxiliar Júlio Sérgio assume interinamente pela terceira vez na temporada. Antes, esteve à frente da equipe nas partidas contra Goiás (derrota) e Athletico (empate).

Coritiba e Fluminense se enfrentam nesta quarta-feira (20), no jogo que está marcado para 20h30, no Couto Pereira.

Foto em destaque: Divulgação/Coritiba

Em grande fase no América-MG, Lisca estaria na mira do Fluminense, revela jornalista

Um dos nomes de grande sucesso na temporada Brasileira entre técnicos, Lisca, atual treinador do América-MG, estaria na mira do Fluminense.

A informação foi divulgada pelo jornalista Jorge Nicola, dos canais Disney, que confirmou também o interesse do Tricolor em outro nome, Dorival Júnior, que já havia sido informado pelo portal NetFlu.

Segundo Nicola, o interesse do Flu em um nome para o comando técnico aumentou após a derrota e fraco desempenho da equipe no jogo da última quarta-feira (16), quando o Fluminense foi derrotado por 2 a 1 para o Atlético-Go.

Ainda de acordo com Nicola no entanto, Lisca não deve sair do América-MG nessa reta final de temporada, onde o Coelho disputa as semifinais da Copa do Brasil, além de ser manter firme na briga pelo acesso à Série A do ano que vem.

Foto em destaque: Mourão Pande/AMG

Representante nacional: Dos quatro “grandes” do Rio apenas o Fluminense possui técnico brasileiro

A internacionalização do futebol chegou de vez ao Brasil, que principalmente após o sucesso de Jorge Jesus no ano passado comandando o Flamengo, viu a quantidade de técnicos estrangeiros aumentar no país, tanto é que no Rio, o único clube com um técnico brasileiro é o Fluminense, comandado por Odair Hellmann.

Domenec Torrent no Flamengo, Sá Pinto no Vasco e agora Ramón Diaz no Botafogo, completam a lista de treinadores dos clubes cariocas, todos estrangeiros.

A lista fica ainda maior quando se olha para o cenário nacional, com Jorge Sampaoli no Atlético-MG, Eduardo Coudet, no Internacional, e Abel Ferreira, no Palmeiras, totalizando seis técnicos estrangeiros entre os 20 clubes da Série A.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Sub-13 aposta em técnico campeão em Xerém para brilhar em 2020

Campeão Carioca Sub-15 pelo Fluminense, em 2002, e profissional no futsal tricolor, o atual técnico da equipe Sub-13, Diego Branco, quer usar a sua experiência para fazer a Geração 2007 novamente campeã. O projeto vai além e o treinador quer garantir que, a partir de mais uma promissora categoria de Xerém, o clube consiga desenvolver cada vez mais os jovens atletas.

“Depois de me profissionalizar pelo futsal, fui para a Sérvia e joguei um tempo no Leste Europeu. Depois retornei ao Brasil e terminei a faculdade de educação física na UFRJ. Voltei a jogar futsal pelo Fluminense em 2012 e após muito estudo fui chamado para voltar no comando técnico em Xerém em 2017”, contou Diego Branco, para em seguida afirmar:

“Sempre vou usar esta minha experiência para ajudar os meninos. Teremos uma temporada com competições com alto nível nacional. Estaremos prontos, atuando de forma ofensiva com a posse da bola, retendo a bola rapidamente e organizados procurando criar os espaços para atacar o gol adversário. Queremos chegar as finais de todos os campeonatos, mas o principal é fazer com que os atletas tenham uma grande rodagem em jogos e apresentem seu futebol de grande qualidade para continuar subindo de categoria. Quanto mais jogos conseguirmos fazer, mais os jovens atletas podem crescer em seu processo de formação em Xerém. A torcida pode esperar uma equipe bem competitiva é natural desta geração, o time de Guerreiros como nosso DNA e cultura Tricolor chama. Seu nível e empenho da disciplina aliada com a ideia de jogo da nossa identidade é de encher os olhos neste grupo. Estamos muito confiantes e iremos fazer um grande trabalho neste ano”.

Com as atividades interrompidas por conta do combate ao COVID-19, o treinador, em conjunto com os outros departamentos de Xerém, elaboraram algumas medidas para ajudarem a educar os jogadores e auxiliar no desenvolvimento deles, mesmo durante a quarentena.

“Primeiro buscamos saber sobre a saúde deles e de seus familiares sempre, e depois, as comissões técnicas trocam informações na internet de como evoluir os conhecimentos dos meninos em casa, pois todos nós temos a mesma metodologia que é o DNA tricolor e assim direcionamos para eles atividades diárias de acordo com suas idades e categorias. Exemplo: A categoria Sub-13 teve que ver um vídeo de um gol feito pela categoria Sub-17. Perguntamos aos meninos qual era o princípio, o valor e as observações do lance, segundo o “idioma” de Xerém. Sendo assim, eles permanecem concentrados, atentos e tendo que se esforçar para chegar a solução da pergunta e montamos um ranking de pontuação para ajudar na leitura de jogo dos meninos”, explicou o treinador.

Neste ano, além do Carioca da categoria, o Sub-13 tem na agenda a Copa Nacional VR, a Copa S. Ludgero e o Nacional Sub-13, título conquistado pelo Fluminense, em 2019.

Opinião – Uma escolha racional

Definido que Odair Hellmann, catarinense, 42 anos, será nosso treinador nesse início de temporada.

Odair foi jogador, revelado pelo Internacional e com passagem pelo Fluminense em 1999. Encerrou a carreira em 2009, após trágico acidente de ônibus com a delegação do Brasil de Pelotas.

Deu início a carreira de auxiliar técnico na base do próprio Internacional, chegando à Comissão Técnica permanente dos profissionais em 2013. Foi auxiliar do time olímpico do Brasil medalha de ouro em 2016.

Assumiu o time profissional do Inter em final de 2017, ainda na série B e foi efetivado para 2018 levando o clube a 3° lugar no brasileiro. Em 2019 chegou às 4° de final da Libertadares, eliminado pelo clube campeão, e foi vice da Copa do Brasil, perdendo para o Athletico PR.
Seu aproveitamento foi superior a 60%.

É uma contratação que se passa longe dos sonhos da torcida, se encaixa bem na realidade financeira do clube. Odair trás consigo bons números de sua passagem no sul e terá tempo para remontar um elenco que deve sofrer muitas perdas. Aliás, esse foi um ponto que depôs contra a vinda de um técnico estrangeiro. A montagem do elenco passará por jogadores não aproveitados em outros clubes, destaques da série B e outros que retornam de empréstimos, tudo isso sem dinheiro em caixa.

Louve-se a ação rápida da diretoria para definir o comando técnico e agora é trabalhar.
Vamos torcer para que tenha sido acertada a contratação de Odair, vamos dar tempo para que ele desenvolva seus métodos. Vamos usar o estadual com inteligência, sem queimar etapas.
O Fluminense precisa de paz.

Novo treinador só deve ser decidido após o clássico

Foto: Mailson Santana/FFC

Após demitir o técnico Oswaldo de Oliveira depois de empatar em 1 a 1 contra o Santos, no Maracanã, o Fluminense teve o auxiliar permanente, Marcão, comandando a equipe interinamente diante do Grêmio no último domingo (29) em partida que terminou com vitória de 1 a 0 para o Fluzão.

A vitória deu uma sobrevida a Marcão no cargo, que continuará no comando da equipe no clássico vovô deste domingo (6) e, em caso de vitória, a chance de efetivação aumentam consideravelmente.

Já em caso de revés, o clube deve mesmo ir ao mercado em busca de um nome mais “cascudo” para o restante da temporada e, os nomes de Zé Ricardo, Ariel Holan e Lisca Doido, seriam as principais opções. Enderson Moreira, demitido do Ceará, já é nome praticamente descartado.