fbpx

Opinião – Uma escolha racional

Definido que Odair Hellmann, catarinense, 42 anos, será nosso treinador nesse início de temporada.

Odair foi jogador, revelado pelo Internacional e com passagem pelo Fluminense em 1999. Encerrou a carreira em 2009, após trágico acidente de ônibus com a delegação do Brasil de Pelotas.

Deu início a carreira de auxiliar técnico na base do próprio Internacional, chegando à Comissão Técnica permanente dos profissionais em 2013. Foi auxiliar do time olímpico do Brasil medalha de ouro em 2016.

Assumiu o time profissional do Inter em final de 2017, ainda na série B e foi efetivado para 2018 levando o clube a 3° lugar no brasileiro. Em 2019 chegou às 4° de final da Libertadares, eliminado pelo clube campeão, e foi vice da Copa do Brasil, perdendo para o Athletico PR.
Seu aproveitamento foi superior a 60%.

É uma contratação que se passa longe dos sonhos da torcida, se encaixa bem na realidade financeira do clube. Odair trás consigo bons números de sua passagem no sul e terá tempo para remontar um elenco que deve sofrer muitas perdas. Aliás, esse foi um ponto que depôs contra a vinda de um técnico estrangeiro. A montagem do elenco passará por jogadores não aproveitados em outros clubes, destaques da série B e outros que retornam de empréstimos, tudo isso sem dinheiro em caixa.

Louve-se a ação rápida da diretoria para definir o comando técnico e agora é trabalhar.
Vamos torcer para que tenha sido acertada a contratação de Odair, vamos dar tempo para que ele desenvolva seus métodos. Vamos usar o estadual com inteligência, sem queimar etapas.
O Fluminense precisa de paz.

Novo treinador só deve ser decidido após o clássico

Foto: Mailson Santana/FFC

Após demitir o técnico Oswaldo de Oliveira depois de empatar em 1 a 1 contra o Santos, no Maracanã, o Fluminense teve o auxiliar permanente, Marcão, comandando a equipe interinamente diante do Grêmio no último domingo (29) em partida que terminou com vitória de 1 a 0 para o Fluzão.

A vitória deu uma sobrevida a Marcão no cargo, que continuará no comando da equipe no clássico vovô deste domingo (6) e, em caso de vitória, a chance de efetivação aumentam consideravelmente.

Já em caso de revés, o clube deve mesmo ir ao mercado em busca de um nome mais “cascudo” para o restante da temporada e, os nomes de Zé Ricardo, Ariel Holan e Lisca Doido, seriam as principais opções. Enderson Moreira, demitido do Ceará, já é nome praticamente descartado.

Demitido do Ceará, Enderson Moreira pode pintar no Flu

Foto: Nelson Perez/FFC

Demitido do Ceará após o Vozão ficar oito jogos sem vencer, Enderson Moreira é mais um nome estudado para assumir o comando técnico do Fluminense.

Enderson que teve uma boa passagem pelo Tricolor em 2015, quando o atual presidente, Mário Bittencourt era vice de Futebol, agrada a cúpula de futebol do Flu pode ter outra oportunidade nas Laranjeiras.

Outros nomes ainda seguem em análise, como Zé Ricardo, Ariel Holan e Lisca Doido, sendo o último tendo grandes chances de substituir Enderson no Ceará.

Vale destacar também que existe uma possibilidade da efetivação de Marcão, que em seu primeiro jogo de fato como técnico interino, conseguiu um triunfo diante do Grêmio. Uma nova vitória neste domingo (6) quando o Fluzão faz o clássico contra o Botafogo no Estádio Nilton Santos, aumentam ainda mais as chances de Marcão continuar como treinador Tricolor.

Cotado para assumir o Flu, Lisca Doido deve acertar retorno ao Ceará

Um dos nomes especulados para assumir o comando técnico do Fluminense em substituição a Oswaldo de Oliveira, Lisca Doido, está perto de confirmar seu retorno ao Ceará.

O técnico que livrou o Vozão do rebaixamento em 2018 está por detalhes para acertar o retorno.

No Flu, o nome de Lisca foi muito especulado principalmente entre os torcedores e, até mesmo muito comentando nos bastidores do clube, porém, não chegou a ser feita de fato uma proposta pelo treinador.

Nomes como do argentino Ariel Holan e Zé Ricardo ainda seguem na pauta da diretoria, assim como a efetivação de Marcão.

Fluminense prioriza quatro nomes em primeiras conversas sobre técnico para 2019

Em reuniões realizadas durante a semana, o Fluminense selecionou quatro nomes de onde, provavelmente, sairá o preferido a assumir o comando do time a partir de 3 de janeiro, quando o elenco se reapresenta para a pré-temporada. A princípio, estão descartados Ney Franco, ex-Goiás, e profissionais estrangeiros, como Diego Aguirre, ex-São Paulo.

As primeiras opções avaliadas foram Roger Machado, ex-Palmeiras, Dorival Júnior, ex-Flamengo, Jair Ventura, ex-Corinthians, e Gilson Kleina, ex-Ponte. Nenhum deles, por ora, foi procurado para negociação. Também considerados, Enderson Moreira (Bahia) e Maurício Barbieri (Goiás) estão empregados.

Roger Machado, talvez, leve vantagem por ser o plano A do presidente Abad em 2016, quando venceu a eleição. À época, porém, as conversas não evoluíram e o clube contratou Abel Braga, que pediu demissão em junho deste ano e deu lugar a Marcelo Oliveira, dispensado há uma semana. Dorival Júnior, com futuro incerto no Fla, em razão da eleição do fim de semana, surgiu no radar da diretoria durante a pausa para a Copa do Mundo.

No jogo que assegurou a permanência do Fluminense na primeira divisão, domingo, Fábio Moreno, auxiliar-técnico permanente, comandou a equipe.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Sem traçar perfil de técnico, Fluminense marca pré-temporada para 3 de janeiro

Dada a demissão de Marcelo Oliveira, semana passada, o Fluminense jogou a 38ª rodada do Brasileirão, contra o América-MG, domingo, com Fábio Moreno, auxiliar-técnico, no comando. Além de eventuais contratações para o elenco, a diretoria deverá se preocupar em encontrar, em um mês, o futuro treinador.

Moreno, que vive sua segunda passagem nas Laranjeiras desde 2017  (a primeira, como observador-técnico, foi em 2012), assumiu o posto de auxiliar-permanente com a saída de Abel Braga, na parada para a Copa do Mundo. Com o interesse de Santos e Flamengo, ele não sabe se reintegrará a comissão do ex-técnico do Fluminense em 2019.

– Meu contrato com o Fluminense se encerra em dezembro. Tenho o maior prazer de trabalhar no Fluminense, assim como com o Abel. É meu maior ídolo. Não tem preço trabalhar com ele. Tem muito conhecimento, muito a ensinar. Um cara fantástico. Eu não sei o que vai acontecer em 2019, não tenho pressa. Só quero ir para casa e ficar com a minha família – disse, depois de vencer o Coelho, por 1 a 0, no Maracanã, e assegurar a permanência do time na primeira divisão.

Alguns nomes, como Ney Franco, ex-Goiás, e Gilson Kleina, ex-Ponte Preta, vêm sendo especulados pela imprensa. Falou-se, também, em Roger Machado, que não trabalha desde que deixou o Palmeiras, em julho. No entanto, a cúpula de futebol ainda não se reuniu para conversar sobre o tema. Em breve, Abad se juntará a Paulo Angioni e Fabiano Camargo para resolver a questão.

Para que o novo técnico colabore na formação do grupo, o Fluminense deve agir rápido, como na troca de Abel para Marcelo Oliveira, em junho, quando o cargo levou cerca de dez dias para ganhar um novo dono. A reapresentação está marcada para 3 de janeiro, a duas semanas e meia da estreia na Taça Guanabara, dia 20, contra o Volta Redonda. A pré-temporada ocorrerá no Centro de Treinamento, na Barra. Quando houver atividade em dois turnos, os jogadores usarão o hotel onde normalmente concentram para os jogos no Rio.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Mais um não ! Assim como Zé Ricardo, Dorival recusa oferta do Flu

Diretoria segue com a intenção de fechar com o próximo treinador até o dia 26.

O Fluminense segue em busca de um novo nome para assumir o cargo de treinador da equipe, vago após a saisade Abel Braga. Contudo, a tarefa vai se mostrando ser bem complicada.

Após ouvir a recusa de Zé Ricardo que aguarda uma proposta da Arábia, a diretoria tricolor ouviu um não de Dorival Júnior, que alegou motivo de problemas de saúde na família para recusar o convite. Além disso, a própria diretoria tricolor já havia de assustado com o valor do salário pretendido pelo treinador em caso de um possível acerto.

Diante das duas recusas, a Fox Sports informou que a direção do Flu chegou a cogitar o nome do ex treinador e ídolo do clube, Ricardo Gomes, porém, ainda de acordo com a Fox,  o profissional está  vias de acertar com o Santos, onde assumiria o cargo de diretor de futebol.

 

 

ST, 

Douglas Wandekochen

foto: Marcos Ribolli

Nome de Autuori ganha força para assumir La U

Treinador foi indicado por grupo político do clube chileno.

O nome diretor esportivo do Fluminense, Paulo Autuori ganhou força nos últimos dias para ser o novo treinador da La U, que busca um substituto à Guilherme Hoyos, demitido após a goleada de 7 a 0 sofrida para o Cruzeiro.

O nome do treinador chegou ao clube após o “Consejo Azul”, grupo com participação efetiva na direção do clube (formado por dirigentes, conselheiros, acionistas e torcedores) enviar uma carta a diretores e executivos da La U indicando o nome de Autuori para ser submetido a “entrevistas e negociações nos mesmos termos que os demais candidatos”, que contam ainda com os nomes de Ramón Díaz, Frank Kudelka, Ariel Holan e Alfredo Arias, como outros cotados.

 

ST,

Douglas Wandekochen

 

foto: Monique Silva
Top