fbpx

Fluminense encaminha acordo por dívida de Marquinho

Valor da venda de Richarlison será repassado diretamente ao clube italiano.

Diante de uma grave crise financeira, a diretoria do Fluminense vai se reinventando para realizar o pagamento das dívidas. Uma delas, a que o clube tem referente à negociação do meia Marquinho em 2016, que gira em torno de 1,3 milhão (R$ 6 milhões, na cotação atual), está se encaminhando para um desfecho positivo para a quitação.

Para o acordo, o Tricolor busca encaminhar parte da verba que têm direito na venda de Richarlison diretamente ao clube italiano, isso por quê, o dono da Udinese, Giampaolo Pozzo é pai do proprietário do Watford, Gino Pozzo.

O entendimento entre as partes é fundamental para evitar que a Fifa aplique punição ao Flu. Afinal, sem receber o que tinha direito, a Udinese denunciou o caso.

Da venda de Richarlison do Watford ao Everton, € 50 milhões (R$225 milhões), o Flu terá direito a 10%: 3,75 milhões de euros (R$ 17 milhões). Pagando o acordo à Udinese, ainda sobrariam R$11 milhões aos cofres do Flu.

 

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Nelson Perez

fonte: Globoesporte.com

Udinese recusa jogadores do Flu por débito de Marquinho

Dívida seria maior que R$5 milhões.

O presidente do Fluminense, Pedro Abad busca uma solução referente a dívida do Tricolor com a Udinese em relação a compra do meia Marquinho, ainda na administração de Peter Siensem, em 2016, onde na época, o então presidente adquiu o jogador pelo valor de €1 milhão (R$4,1 milhões) a serem pagos só em 2017.

Diante do não pagamento por parte do Tricolor, a Udinese recorreu à FIFA que deu o prazo até o final do mês de março para que fosse feito o acerto. Expirado o prazo, Abad procurou o presidente do clube italiano, Gianluigi Pozzo, oferecendo-lhe a prioridade na contratação de algum jogador do Flu como parte do abatimento da dívida, proposta recusada por Pozzo.

Na conversa, Abad explicou a dificuldade financeira tricolor. Pozzo no entanto deixou claro que, neste momento, não tem interesse em nenhum jogador. Dar prioridade de compra ao time italiano era uma alternativa para por fim ao débito de 1,3 milhão de euros (R$ 5,4 milhões, na cotação atual).

Apesar da recusa do cartola italiano, os dirigentes estreitaram a relação e há uma esperança muito grande na direção do Fluminense que o negócio tenha um desfecho positivo.

 

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Divulgação FFC

Prazo de pagamento vence, e Fluminense conversa com a Udinese sobre dívida por Marquinho

A dívida do Fluminense por Marquinho, segundo o determinado pela FIFA, deveria ser paga até o final de março. O prazo venceu, e a pendência ainda está em aberto. o débito, corrigido por juros, é de 1,3 milhão de euros (R$ 5,2 milhões, na cotação atual).

A compra de 100% do meia, acertada à época de Peter Siemsen, custou 1 milhão de euros (R$ 4 milhões, na cotação atual). A quitação deveria acontecer em 2017, na gestão de Pedro Abad, mas as dificuldades financeiras impediram a regularização da situação.

O clube teme uma eventual punição da entidade máxima do futebol e, por isso, retomou conversas com os italianos, em busca de um acordo. A diretoria verde, branco e grená confirma:

“O Fluminense busca acordo com a Udinese, com conhecimento da Fifa, tendo inclusive protocolado petição no processo movido na entidade pelo clube italiano”.

Antes de o caso ser comunicado à FIFA, a Udinese recusou uma proposta do Fluminense. O Tricolor ofereceu parte de eventual futura venda de Richarlison, agora no Watford.

Mesmo machucado, Marquinho figurou a lista de dispensa anunciada em dezembro e deixou o clube. A medida visava reduzir os gastos da folha salarial.

Em sua segunda passagem pelas Laranjeiras, o atleta fez 41 jogos e três gols.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Fluminense descumpre acordo por Marquinho, e Udinese aciona a Fifa

Marquinho foi contratado, em julho de 2016, e dispensado, em dezembro de 2017. Passou pouco mais de 500 dias no Fluminense, que ainda deve à Udinese o pagamento da compra do meia.

Na ocasião, o presidente era Peter Siemsen. O negócio envolvia a aquisição de 100% dos direitos econômicos por 1 milhão de euros (R$ 4 milhões, na cotação atual). As partes acertaram que o valor deveria ser depositado em 2017, quando Pedro Abad assumiu a presidência. A dificuldade financeira, porém, atrapalhou o cumprimento do acordo, que agora gera problemas aos tricolores.

Campeão brasileiro em 2010, Marquinho foi dispensado após um ano e meio nas Laranjeiras. (Foto: Nelson Perez)

Em razão da cobrança da Udinese, o Fluminense tentou uma proposta, recusada pelos estrangeiros. Tratava-se de garantir ao time italiano parte do que for lucrado com eventual futura venda de Richarlison, hoje no Watford- ING.

O Tricolor, mesmo acionado pela Fifa, ainda conversa por um consenso. No entanto, a entidade determinou, após avaliação do caso, que o pagamento seja feito até 31 de março. Do contrário, será aplicada uma sanção ao time de Laranjeiras. A dívida, com juros, é de 1,3 milhão de euros (R$ 5,2 milhões, na cotação atual).

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com

Botafogo entra na briga e Aguirre deve definir futuro nesta terça-feira

Jogador estaria muito próximo de fechar com o Flu, mas alvinegro entrou forte na briga.

Cobiçado pela dupla Fluminense e Botafogo, o atacante uruguaio Rodrigo Aguirre deve definir seu futuro nessa terça-feira (06) e chegar ao Rio até o final da semana para selar o acordo com seu novo clube, disse o empresário do jogador, o peruano Pablo Betancourt.

Vale destacar que o empresário de Aguirre chegou a declarar na última semana que o jogador já estaria fechado com o tricolor. No entanto, de acordo com o dirigente do Botafogo, Anderson Barros, o alvinegro voltou a negociar com o atacante, e o cartola vê como real o acerto.

Vale ressaltar ainda que o clube que fechar com Aguirre, não poderá contar com o jogador para o Cariocão (inscrições encerradas) e nem na primeira fase da Sul-Americana (Aguirre está punido por três partidas).

 

ST,

Douglas Wandekochen

Fluminense inicia conversas por Aguirre

Uruguaio esteve perto de fechar com o Botafogo.

O atacante uruguaio Rodrigo Aguirre que esteve muito próximo de acertar com o Botafogo, está em início de conversa para ser o novo atacante do Fluminense.

O negócio entre Aguirre e Botafogo esfriou após os italianos pediram, num primeiro momento US$ 500 mil (cerca de R$ 1,6 milhão) pelo empréstimo, valor esse que seu empresário conseguiu reduzir à metade. Porém, os alvinegros queriam a cessão do atacante por um ano e meio e os europeus só topavam o acerto por um ano.

O interesse do Fluminense em Aguirre foi passado em primeira mão pelo site tricolor: NetFlu, e confirmado pelo repórter Vitor Mendes, da Rádio Mais Esportes, que noticiaram o interesse do tricolor no empréstimo de um ano do uruguaio, junto à Udinese.

 

ST,

Douglas Wandekochen

Top