fbpx

Ex-vice, Cacá Cardoso se vê vítima de golpe e detona Abad: ‘Faltou palavra’

Os bastidores nas Laranjeiras continuam conturbados. A segunda-feira marcou o primeiro encontro do Conselho Deliberativo, marcado para discutir a venda de Gérson ao Roma, depois do rompimento do Unido e Forte com a gestão. Ex-vice-presidente, Cacá Cardoso detonou Pedro Abad, presente à reunião, alegando ‘falta de palavra’.

– O que, de fato, faltou foi, em primeiro lugar, a verdade: o quadro descortinado pela recém empossada vice-presidência de finanças era muito mais grave do que aquele alardeado em campanha como um feito da gestão passada, um verdadeiro troféu. Logo a seguir, passou a faltar a palavra. Tudo que fora combinado, posto no papel e assinado, não foi cumprido. Em resumo: faltou a palavra. Para mim, isso basta. Aliás, isso, para mim, é um golpe! Fomos vítimas de um golpe! Simples assim – discursou, referindo-se à parceria entre Peter Siemsen, Pedro Abad e Flusócio, durante a campanha eleitoral.

Justamente por haver discordâncias, Cacá Cardoso e mais quatro ex-vices renunciaram seus cargos. Foram eles: Diogo Bueno (financeiro), Miguel Pachá (jurídico), Idel Halfen (marketing) e Sandro Hagen (governança).

A fala de Cacá foi reafirmada, em nota, pelo grupo Flu 2050, alvo de ataques da Flusócio e que, também em mensagem oficial, retrucou.

– Em recente artigo, a Flusócio cobra do nosso grupo, o 2050, parte do Unido e Forte, não termos “entregue o que deveríamos”. Segundo eles, cabia aos empresários despejar verbas nos combalidos cofres do Fluminense para resolver os problemas da gestão. Por isso não ter ocorrido, buscando de alguma forma justificar nossa decisão de saída, tentam nos expor. Ao contrário do que pretendem, a nota, ao invés de nos atingir, apenas torna mais evidente sua postura fisiológica e o seu comportamento covarde, já conhecido, de recolher os louros e se afastar dos problemas. Nossa reposta é muito simples: Os empresários apresentados não encontraram no terreno arado por duas gestões Peter, com o apoio incondicional da Flusócio, tampouco nas contas, divulgadas somente depois da eleição, as mínimas condições, ou a confiança necessária, para ali aportarem seus recursos. São empresários, não loucos – diz parte do pronunciamento.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Top