fbpx

Ídolo Tricolor, Thiago Silva questiona vaias à seleção Brasileira


Foto: Simon Hofmann/Getty Images

Um dos grandes ídolos recentes da torcida do Fluminense e atual titular da zaga da seleção Brasileira comandada pelo técnico Tite, o zagueiro Thiago Silva não concordou com as vaias da torcida baiana para com a seleção após o empate de 0 a 0 entre Brasil e Venezuela em jogo válido pela segunda rodada da Copa América.

– Ao meu ver não são justas, a Venezuela pouco criou, praticamente toda segunda bola era nossa, eles estavam fechados. No todo a equipe se comportou bem, mas quando não tem o gol, parece que está tudo errado – comentou o Monstro.

Diferente do que aconteceu em São Paulo, quando a seleção foi vaiada ainda no intervalo quando empatava em 0 a 0 com a Bolívia e viria a vencer por 3 a 0 com todos os gols no segundo tempo, o Brasil deixou o campo na Arena Fonte Nova durante o intervalo sob aplausos do torcedor, que não poupou a equipe ao final do jogo e soltou uma sonora vaia ao final da partida depois dos 0 a 0 contra a Venezuela, primeiro empate da história da seleção Vinho Tinto contra uma seleção anfitriã em Copas América.

Depois do fraco desempenho, o Brasil volta a campo no próximo sábado (22) ás 16h para enfrentar o Peru, em partida que vale classificação à próxima fase do torneio.

Marcelo Oliveira admite necessidade de melhora e, pede o apoio da torcida

Impaciente, torcida vaiou o time ainda na primeira etapa.

Após empatar em 0 a 0 contra o Sport no Maracanã, o técnico do Fluminense, Marcelo Oliveira, reconheceu a necessidade de melhora da equipe Tricolor. Na visão do comandante, faltou mais agressividade pelos lados do campo:

– Precisamos melhorar os jogadores de lado para chegarem com mais precisão para decidir os jogos. Faltou a inspiração no mais importante. Se fizéssemos um gol mesmo sem atacar muito, estaríamos falando diferente – comentou o treinador.

Marcelo também pediu o apoio da torcida, que insatisfeita vaiou o time ainda no primeiro tempo:

– Às vezes há uma precipitação nessa questão de vaias. No Uruguai, o Nacional foi eliminado e não foi vaiado. A torcida cantou até o fim, me impressionou. Flu se acostumou a grandes conquistas e precisa conviver com o futebol atual, muito acirrado para todos. O apoio nesse momento, e contra o Atlético-PR, será muito importante – completou o treinador, que frisou ter se incomodado mais com as vais depois do apito final.

 

foto: Mailson Santana

Top