fbpx

Olho no apito: Bruno Arleu será o responsável por conduzir o Fla-Flu

Foto: Divulgação/Ferj

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) definiu em sorteio realizado na sede da entidade na tarde desta quinta-feira (04) os árbitros responsáveis pela condução das semifinais do Campeonato Estadual.

Para o Fla-Flu, que acontecerá no próximo sábado (06), o responsável pelo apito será Bruno Arleu de Araújo, auxiliado por Rodrigo Figueiredo Corrêa e Daniel do Espírito Santo Parros. João Batista de Arruda será o quarto árbitro.

Assim como nas semifinais e finais de turno, a semifinal e final do Estadual também contará com o árbitro de vídeo, o VAR, que no caso do Fla-Flu ficará a cargo de Rodrigo Nunes de Sá.

Vale destacar que Bruno Arleu foi o árbitro do primeiro jogo do Flamengo no Campeonato Carioca, quando o rubro-negro enfrentou o Bangu e venceu de virada. Na ocasião, o primeiro gol da equipe da Gávea foi validado através de uma bola que havia saído pela linha de fundo no início do lance e nem o árbitro e seus auxiliares notaram a sua saída.

Comentaristas divergem sobre gol anulado do Fluminense

foto: Reprodução/TV

O gol do Fluminense, anulado logo nos primeiros minutos do Fla-Flu, continua gerando uma grande polêmica: se houve ou não a falta de Matheus Ferraz em Rodrigo Caio ?

Os ex árbitros e atuais comentaristas de arbitragem do grupo Globo, Paulo César de Oliveira e Sandro Meira Ricci, tiveram opiniões diferentes em relação ao lance.

Para Paulo César, que comentou o jogo pela TV Globo, o lance foi mal anulado pois na visão do ex árbitro não há disputa entre os zagueiros. Para PC, foi uma briga pelo espaço e sem conduta faltosa de Matheus Ferraz.

Já Sandro Meira Ricci, que comentou a partida pelo Premiere, entendeu que o zagueiro do Fluminense deslocou de forma faltosa o defensor rubro-negro, o impedindo de cortar a bola.

Outro fator importante a ser destacado e analisado por PC de Oliveira, é em relação ao zagueiro Rodrigo Caio, que em momento algum pediu a falta no lance.

Vale destacar que os dois comentaristas deixaram claro que o lance foi interpretativo.

CBF propõe novas mudanças no futebol brasileiro

Foto: Divulgação

Dentre as novidades está a Supercopa do Brasil.

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) deverá realizar grandes mudanças no futebol brasileiro.

Dentre elas uma que vem sendo tema de grande questionamento ao longo de vários anos: a troca de técnicos.

De acordo com o jornalista Igor Siqueira, dos jornais O Globo e Extra, a entidade máxima do futebol brasileiro deve propor aos clube nesta sexta-feira (22) que só haja uma mudança de técnico ao longo da competição nacional.

Ainda de acordo com o jornalista, a entidade ainda irá anunciar que vai arcar com o custo massivo do VAR, durante as 38 rodas da competição, restando aos clubes apenas o custeio da taxa de arbitragem do sistema.

Outra mudança será a implementação da Supercopa do Brasil. Partida no estilo com as que ocorrem na Europa, onde colocará frente a frente os campeões nacionais – Campeonato Brasileiro x Copa do Brasil – em jogo único e em local pré estabelecido pela confederação. A idéia e ter a partida já em 2020, e abrindo a temporada do futebol brasileiro.

Com direito a VAR, Ferj divulga equipe de arbitragem do Fla-Flu

Foto: Divulgação

O sistema será utilizado nas semifinais e finais de turno, além da final do Estadual.

Aguardados por muitos, o Fla-Flu desta quinta-feira (14) irá definir um dos finalistas da Taça Guanabara 2019.

Para comandar a partida, a Ferj escalou o árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda, de 39 anos. Ele será auxiliado por Silbert Faria Sisquim e Michael Correa.

Rodrigo apitou ao todo três partidas nessa atual edição Estadual: ainda na seletiva ele apitou a vitória do Macaé sobre o Goytacaz por 2 a 1. Já na fase de grupos da Taça Guanabara, comandou o empata de 0 a 0 entre Botafogo e Bangu, além da vitória do Flamengo de 3 a 1 sobre o Boavista.

A partida ainda contará com a presença do árbitro de vídeo, o VAR, sistema que será utilizado nas semifinais e finais de turno, além da final do Estadual.

Acompanhe a equipe completa de arbitragem:

Árbitro 1: Rodrigo Carvalhaes de Miranda

Auxiliar 1: Silbert Faria Sisquim

Auxiliar 2: Michael Correia

4º árbitro: Grazianni Maciel Rocha

VAR: Bruno Arleu de Araújo

AVAR: Luiz Cláudio Regazone

Apoio VAR: Daniel de Sousa Macedo

Supervisor VAR: José Carlos Santiago

Ferj vê acerto da arbitragem no lance de possível pênalti em Bruno Silva

Na visão da federação, o jogador do Flu teria feito uma falta antes de ser puxado.

A Ferj divulgou um vídeo na manhã desta segunda-feira (04) onde dá sua opinião sobre o polêmico lance do suposto pênalti de Danilo Barcelos em Bruno Henrique. De acordo com o comentarista de arbitragem da federação, o jogador tricolor teria cometido uma falta antes de ser puxado.

Ainda de acordo com o comentário do vídeo, a equipe de arbitragem da partida entendeu o lance da mesma forma, marcando a falta contra o Flu ao invés do pênalti reclamado pelos tricolores.

Acompanhe o vídeo:

Ainda de acordo com a explicação do dada no vídeo divulgado pela federação, se houvesse a utilização do VAR na partida, o sistema teria sido acionado por se tratar de um possível lance de pênalti, cabendo ao juiz analisar o lance pelo monitor e decidir se houve ou não infração na jogada.

Vale ressaltar que o Campeonato Carioca terá a utilização do equipamento de VAR nas semifinais de ambos os turnos, além das semifinais e finais do Estadual. O uso ficou restrito às fases eliminatórias pois de acordo com a Ferj os clubes teriam que arcar com os custos operacionais do recurso, que seria em torno de R$25 mil por jogo.

Ferj inaugura sala para utilização do VAR no Carioca

foto: Divulgação

A Comissão de Arbitragem da FERJ (COAF-RJ) inaugurou nesta quinta-feira (17) a sala de simulador e treinamento do VAR, na sede da entidade.

A empresa contratada do simulador é a Hawk-Eye – mesma utilizada pela FIFA na Copa do Mundo e nas Ligas Francesas e Italiana de Futebol.

O ex-árbitro Sandro Meira Ricci, que apitou nas duas últimas Copas do Mundo, esteve na inauguração orientando os árbitros e assistentes da Ferj.

O VAR será usado ao todo em 10 partidas deste Carioca: as semifinais e finais das Taças Guanabara e Rio além das semifinais e finais do Estadual. O uso ficou restrito às fases eliminatórias pois de acordo com a Ferj os clubes teriam que arcar com os custos operacionais do recurso, que seria em torno de R$25 mil por jogo.

O regulamento da competição, através  do inciso 2, apresenta uma ressalva ao uso do recurso nos estádios: “qualquer clube poderá solicitar, as suas expensas, que o VAR seja utilizado em sua partida, desde que a solicitação seja apresentada à COAF/RJ com antecedência mínima de 10 dias e o estádio que receberá a partida possua condições técnicas para utilização do VAR”, informou o regulamento

De acordo com a FERJ, cinco estádios estão aptos a receberem o VAR. São eles: Maracanã, Moacyrzão, Nilton Santos, Raulino de Oliveira e São Januário.

Procuramos a direção do Fluminense e até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta se o Tricolor pretende arcar com os custos do recursos em algum de seus jogos durante a fase de grupos.

FERJ garante VAR em decisões do Campeonato Carioca em 2019

Uma reunião na FERJ, nesta terça-feira, decidiu pelo uso do VAR no Campeonato Carioca em 2019. A federação se dispôs a assumir os gastos e, entre quatro opções, escolheu a empresa Hawk-Eye Innovations, a mesma contratada para a Copa do Mundo na Rússia, para comandar a estreia do recurso no Estadual.

– Está confirmado, vai ter VAR. Agora vamos marcar uma reunião com a presença do diretor financeiro apenas para acertar a forma de pagamento com a Hawk-Eye. Acertando isso, assinatura do contrato com parecer do departamento jurídico da FERJ – detalhou Jorge Rabello, presidente da Comissão de Arbitragem de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Coaf-RJ).

No ano que vem, a possibilidade de acionar a revisão de lances só existirá em dez jogos: as semifinais e finais de turno, e os quatro jogos da decisão do campeonato. Considerando o valor de R$ 175 mil, cobrado para o treinamento de 25 profissionais, mais os R$ 25 mil por partida, o total do contrato é de R$ 425 mil.

Com o sucesso no Mundial, o VAR foi ganhando espaço no país. Está, desde agosto, disponível na Copa do Brasil. Também estará presente na Libertadores e na Sul-Americana, disputada pelo Fluminense, a partir da fase de quartas-de-final. Mas a nível regional não é novidade: foi utilizado nas finais do Campeonato Pernambucano e Catarinense e num Gre-Nal, pelo Gaúcho.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Legado da Copa? VAR é confirmado em reta final da Sul-Americana

A estreia do árbitro de vídeo em Copas do Mundo aconteceu em 2018, na Rússia, e deixou uma boa impressão. Foi confirmado, na quinta-feira passada, que o recurso poderá ser usado a partir das quartas-de-final da Sul-Americana, disputada pelo Fluminense, e da Libertadores. É, portanto, o legado deste Mundial, que caminha para sua fase de semifinais.

– Decidiu-se que, a partir das quartas-de-final, poderá ser usado o VAR em nossas competições. Quando implementamos, vimos que nossos árbitros tiveram uma ajuda nesse sentido (durante a Copa do Mundo), já que conhecem o trabalho com o VAR, porque treinaram com o VAR, o que os ajudou bastante durante este Mundial – avaliou Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol.

É a segunda vez que o recurso estará presente em torneios sul-americanos. Ano passado, o VAR foi implementado nas semifinais e finais da Libertadores, decisão da Sul-Americana e da Recopa. As regras são as mesmas seguidas na Copa: o árbitro de vídeo só será acionado em dúvidas sobre gols, pênaltis, cartões vermelhos e para quem deve ser aplicado a advertência.

O primeiro jogo da segunda etapa da Sula é dia 02 de agosto, às 21h45, no Maracanã. O adversário do clube de Laranjeiras é o Defensor, do Uruguai.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Top