CBF passará a transmitir marcações de impedimento nós telões dos estádios

Wilson Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, informou nesta quarta-feira que as transmissões do Campeonato Brasileiro passarão a ter uma novidade. A entidade disponibilizará a imagem do momento em que as linhas de impedimento do VAR serão traçadas durante os jogos. Ele explicou a medida.

A gente vai disponibilizar a construção da linha do impedimento na transmissão ao vivo. Não vai mais enviar a foto da jogada para a transmissão colocar na sequência. A gente entende que quando as pessoas que estão acompanhando a transmissão começarem a acompanhar a construção da linha, vão entender melhor o final dela – relatou.

Os lances de impedimentos durante os jogos têm causado enormes polêmicas, inclusive, gerando dúvidas se as linhas vêm sendo traçadas corretamente pelos operadores do VAR. Os árbitros passarão por treinamentos para aperfeiçoar o trabalho.

— A gente quer dar treinamento diário para esses árbitros para que possam melhorar essa linha de intervenção, é o que estamos buscando – disse.

A CBF comunicou, também, que publicará mais vídeos e áudios expondo as conversas entre a cabine do VAR e os árbitros de campo. Atualmente, a confederação divulga somente os lances revisados e, a partir de agora, passará a disponibilizar lances que deveriam ser checados pelo VAR, mas passaram em branco.

Em evento realizado nesta quarta-feira, foram anunciados novos nomes na Comissão de Arbitragem. Confira a composição:

Wilson Luiz Seneme Presidente da Comissão de Arbitragem

Emerson Augusto de Carvalhovice-presidente da Comissão de Arbitragem

Hilton Moutinho RodriguesMembro da CA

Ricardo Marques RibeiroMembro da CA

Regildênia de Holanda MouraMembro da CA / Responsável Arbitragem Feminina

Ítalo Medeiros de AzevedoMembro da CA / Estatístico

Alicio Pena JúniorGerente Geral do CEAB

Roberto PerassiGerente Ensino Arbitragem

Giuliano BozzanoGerente Técnico Arbitragem

Péricles BassolsGerente Técnico VAR

Lucas Dias AlmeidaGerente VAR

Rodrigo Pereira JóiaGerente administrativo arbitragem

Paulo Roberto da Rocha CamelloCoordenador Físico Arbitragem

Mikael Silva AraújoAnalista Técnico de Vídeos

Edson Rezende de OliveiraOuvidoria / Corregedoria Arbitragem

Renata LeeCoordenadora Administrativa Futsal

Sandro BrechaneCoordenador Técnico Futsal

Nayara Santos AzevedoAnalista Administrativa CA

Tatiana Pacheco Lima GuedesAnalista Administrativa CEAB.

Foto em destaque: Divulgação

Mário vai a CBF cobrar explicações sobre gol anulado de German Cano: “Um absurdo”

O presidente do Fluminense Mário Bittencourt foi até a sede da CBF na tarde desta terça-feira (24) cobrar explicações sobre o gol anulado de Germán Cano no último final de semana contra o Fortaleza. Mesmo tendo vencido o jogo por 1 a 0, o presidente Tricolor se mostrou contrariado com a marcação.

Segundo apurações do portal GE, a Comissão de Arbitragem não considerou que houve erro do VAR no posicionamento das linhas, visto que a entidade ela em consideração a última mudança da regra do impedimento, do segundo semestre do ano passado, em que passa a ter como orientação a axila do jogador, e não mais o ombro. Porém, Mário disse não concordar com a mudança, que, na opinião dele, beneficia a defesa e, defendeu que os clubes precisam se unir para que a regra seja revista.

No encontro na Comissão de Arbitragem da CBF, o presidente Wilson Seneme explicou os critérios da nova regra, que acaba beneficiando a defesa. Entendo que, para o bem do futebol, os clubes precisam se unir para rever essa metodologia. A decisão foi baseada numa nova regra e tem que ser revista porque anular um gol como aquele é um absurdo – afirmou Mário Bittencourt.

Foto em destaque Divulgação/Vídeo

f

Impedido? Veja como foi a análise do VAR para anular o gol de Cano contra o Fortaleza

O Fluminense venceu o Fortaleza por 1 a 0 na tarde do último domingo (22), porém, o resultado poderia ter sido diferente se o VAR não tivesse “entrando em campo” para anular o gol de Germán Cano, invalidado por impedimento.

Veja no vídeo abaixo como foi realizada a conferência para anulação do gol do argentino:

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

“Eu, no lugar do Fluminense, também estaria p…”, diz Cuca sobre pênalti a favor do Galo

Um dos assuntos mais comentados neste domingo (28) foi o pênalti marcado a favor do Atlético-MG, na partida contra o Fluminense. O lance determinou o empate do Galo, que virara o jogo na segunda estão, encaminhando o título brasileiro.

Ainda brigando pelo G-4, jogadores, o técnico Marcão e até mesmo o presidente Mário Bittencourt, se mostraram revoltados com a marcação, que ganhou o coro de Cuca, técnico do Atlético-MG:

“– O pênalti a nosso favor, muita gente fala que não foi. O VAR de hoje era um profissional Fifa. É um pênalti questionável. Se ele não dá não ia ninguém dizer que não deu um pênalti claro, mas é uma coisa interpretativa. Eu no lugar do Fluminense também estaria p… da vida – declarou o treinador.

Foto em destaque: Reprodução/Tv Globo

Após derrota, David Braz dispara contra o VAR: “está acabando com o futebol brasileiro”

O Fluminense foi até Minas Gerais e acabou derrotado por 2 a 1 para o Atlético-MG, que encaminhou o título brasileiro.

Após o jogo, o zagueiro David Braz concedeu entrevista, e disparou contra o VAR, acionado para marcação do pênalti que gerou o empate do Galo:

Viemos em busca de conquistar os três pontos e começamos muito bem. Mas teve o erro do árbitro, o que é um absurdo com a tecnologia que temos no futebol ele não ver que a bola não bateu no braço do Marlon. Não é desmerecendo o Atlético-MG, que também jogou bem, mas é um absurdo. O Atlético-MG merece o título pelo Campeonato que fez, mas o VAR está acabando com o futebol brasileiro – disparou o zagueiro.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Semifinais do Cariocão terá auxílio do VAR e sem custos aos clubes

A fase de mata-mata do Campeonato Carioca têm início neste sábado (01) com a disputa do primeiro jogo de uma das semifinais, quando o Volta Redonda recebe o Flamengo. Neste domingo (02) será a vez de Portuguesa x Fluminense.

A partir desta fase, a competição conta com a novidade no auxílio do árbitro de vídeo, o VAR, que começa a ser utilizado a partir das semifinais. No entanto, na edição deste ano, a implementação da tecnologia não representará custos aos clubes.

Uma parceria entre a Federação de Futebol do Rio de Janeiro, a Ferj com a agência de marketing esportivo, Esporte Com, custeará os gastos com os equipamentos. Além disso, há outra novidade: O VAR será operado em uma sala distante do campo de jogo.

Foto em destaque: Divulgação

Taça Guanabara não terá VAR; reunião durante a competição vai definir uso da tecnologia nas finais do turno

Em arbitral realizado no início da semana entre a Ferj e representantes dos clubes, foi decidido que não haverá o uso do VAR na fase de grupos da Taça Guanabara, que inicia na próxima semana.

O uso da tecnologia segue incerto também para a fase final do turno (semifinais e final), quando uma nova reunião entre a sétima e oitava rodada deve decidir pelo uso ou não dá tecnologia.

O arbitral definiu ainda que o protocolo contra a Covid-19 usado no ano passado será mantido para 2021, quando todos precisarão ser testados antes dos jogos para conseguir ingressar nos estádios – incluindo jogadores e staff, sendo necessário a apresentação do exame negativo. As cinco substituições serão mantidas e o staffs dos jogos serão reduzidos para diminuir os custos do Campeonato Carioca.

A reunião ainda antecipou o jogo entre Flamengo e Nova Iguaçu, que acontecerá na próxima terça-feira (02) em partida que marcará a abertura do Campeonato. Fluminense e Resende, primeiro jogo do Tricolor na competição, deve acontecer na quarta-feira (03), ainda sem horário definido.

Foto em destaque: Ivan Paulo/Agência FERJ

Pênalti, VAR e gol anulado: Odair questiona arbitragem entre Palmeiras e Fluminense

A derrota do Fluminense para o Palmeiras por 2 a 0 na noite deste sábado (14), no Allianz Parque, em São Paulo, poderia ter sido diferente se não fosse a intervenção do VAR, que anulou um gol do Fluminense no primeiro tempo, quando identificou impedimento de Luccas Claro e o pênalti que culminou no primeiro gol do Palmeiras.

Na coletiva pós jogo, o técnico Odair Hellmann questionou a atuação do árbitro, principalmente no pênalti marcado para o Palmeiras no início do segundo tempo. Após chute de Lucas Lima a bola bateu no braço de Wellington Silva e após analisar o VAR, o juiz assinalou pênalti.

Aqui eu não vou ficar falando de arbitragem, mas pra mim não foi pênalti, temos que começar a fazer uma avaliação melhor dentro deste contexto, mas aí pega uma avaliação do VAR, lance que para e volta, num chute de alta velocidade que o Wellington faz o movimento de instinto com o braço fechado, sendo que aconteceu a mesma coisa no primeiro tempo contra eles, outras situações que não chama e ainda não está uniforme essas utilizações e decisões, e aí fez a diferença a marcação de pênalti no segundo tempo onde o Palmeiras abre o placar – disse Odair, que ainda questionou a demora no impedimento que anulou o gol do Fluminense marcado por Luccas Claro no primeiro tempo.

O jogo que ficou cinco minutos parado para um decisão milimétrica, se é impedimento, se não é impedimento, mas a gente tem que acreditar no movimento dessa máquina aí, né ? Que deu o impedimento. Mas como o pênalti fez a diferença pra eles, poderia fazer a diferença pra gente, principalmente em um momento onde estávamos melhor na partida, mas quando a gente faz um gol e coloca lá na máquina e fica cinco minutos para ver se foi gol ou se não foi, desconcentra um pouquinho – finalizou o treinador.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Mário Bittencourt critica o não uso do VAR e promete nova ida à CBF

Após mais uma rodada onde o VAR teve papel fundamental no empate do Fluminense contra o Avaí, o presidente do clube, Mário Bittencourt, usou as redes sociais para se pronunciar sobre os acontecimentos ocorridos na Ressacada.

O presidente criticou o VAR por não ter avisado ao árbitro de um puxão de camisa em Marcos Paulo dentro da área. O lance ocorreu aos 13 minutos do 1º tempo, quando o jogo ainda estava sem gols.

Foto: Reprodução/Instagram

“Acabei de chegar de Florianópolis onde acompanhei o time e após ver e rever os lances da partida não consigo entender o porquê do VAR não ter sido acionado no pênalti cometido sobre o Marcos Paulo. Não estou nem entrando no mérito do pênalti cobrado duas vezes, mas o pênalti no Marcos Paulo foi claríssimo e não marcado. Acredito que o VAR possua o objetivo de melhorar a arbitragem mas a falta de critério utilizada pelos árbitros vem causando enormes prejuízos aos clubes, em especial ao Fluminense. Como dito outro dia numa coletiva, não vejo intenção em prejudicar, mas o erros em sequência contra o Fluminense e contra outros clubes demonstram que existe a necessidade clara de definição de critérios pela CBF para o ano que vem e que esses critérios sejam divulgados antes da competição ao grande público. Vamos cobrar isso. Em outras oportunidades já fizemos representações e sempre fomos prontamente atendidos pelo Presidente da Comissão de arbitragem Leonardo Gaciba. Amanhã, terça feira, faremos novos questionamentos de forma oficial para entender quais critérios foram adotados no jogo contra o Avaí.” Saudações Tricolores.

Mário Bittencourt

O lance citado pelo presidente não foi nem sequer revisado pelo árbitro de vídeo. No fim do jogo, o Flu sofreu o empate na segunda cobrança de pênalti do Avaí. Na primeira, defendida por Marcos Felipe, o VAR o acusou corretamente de invasão e voltou atrás, anulando a defesa do goleiro.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Gilberto concorda com anulação de gol de Fred por falta na origem da jogada: “Me impediu de seguir”

Fred chegou a balançar a rede para o Cruzeiro no Mineirão, mas o juiz do jogo, após revisar o lance, anulou o gol marcado aos 9 minutos do segundo tempo. Isso porque, na origem da jogada, Robinho deixou o pé no rosto de Gilberto. O duelo dessa quarta-feira, válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, acabou ficando no 0 a 0.

— Expliquei até para o Robinho. Não sou de simular falta. Eu já tinha roubado a bola dele. Quando eu ia levantar para seguir a jogada, ele bateu, talvez sem intenção, com o pé no meu rosto e me impediu. E acabou acontecendo a jogada de gol. Sendo falta ou não, acabou me impedindo de seguir na jogada. Se é um lance para o VAR interferir, na minha opinião, interferiu da maneira correta — disse o lateral-direito.

O VAR precisou entrar em ação mais duas vezes, na primeira etapa. Foi cancelada a expulsão de Yuri por falta em Jádson e aplicado ao volante o cartão amarelo, que o tira da próxima rodada, sábado, contra o Bahia, no Maracanã. Além disso, sobrou um amarelo para Fred por empurrão em Paulo Henrique Ganso. Perguntado sobre o uso da tecnologia, Marcão disse concordar, mas quer que decisões sejam mais rápidas.

— Perde um pouco de timing. O jogo estava quente, corrido. Temos acompanhado em alguns países a decisão com um pouco de mais rapidez. Melhorar essa questão do tempo para não esfriar o espetáculo é importante. O VAR é justo. Tem que ter justiça. Eu apoio. Mas é possível encurtar esse tempo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.