fbpx

Após vitória, Marcão destaca o espírito da equipe: “nossa equipe acreditava nessa vitória”

Foto: Divulgação/FFC

Após a vitória emblemática diante do São Paulo por 2 a 0, o Fluminense deixou a Zona de rebaixamento e ascendeu o ânimo da equipe para a sequência do Brasileirão e fugir de vez dessa zona de perigo.

Na coletiva, o técnico Marcão elogiou o espírito da equipe e destacou que os jogadores acreditavam na vitória no Morumbi:

– Foi muito importante somar esses pontos. Muitos não acreditavam, mas a nossa equipe acreditou. Levamos pontos importantes para o Rio de Janeiro – destacou o treinador, que sem deixar a eufo ia subir à cabeça, já mirou no próximo confronto, domingo (10), contra o Internacional, no Beira Rio:

– Não dá para descansar. No domingo, já temos outra batalha – finalizou Marcão.

Fluminense vence São Paulo fora de casa e deixa o Z-4

Foto: Marcos Ribolli

O Fluminense entrou em campo na noite desta quinta-feira (7) para enfrentar o São Paulo, no Morumbi, sabendo que precisava da vitória para sair do Z-4. E com um esquema tático que anulou o adversário, o Tricolor conseguiu o triunfo por 2 a 0.

Apostando na mesma formação que empatou com o Vasco no último sábado (2), com Yuri e Allan dando mais proteção a zaga, o Fluminense conseguiu anular praticamente todas as jogadas ofensivas do São Paulo, que apático, levou perigo apenas uma vez ao gol tricolor, quando Antony chutou de fora da área e Muriel fez a defesa.

Na primeira vez que de fato foi ao ataque, o Fluminense conseguiu seu gol. Daniel cobrou falta na cabeça de Digão, que desviou no canto, sem chances para Thiago Volpi. Ainda no primeiro tempo o Fluzão chegou ao segundo gol. Yony recuperou a bola no meio de campo e passou para Caio Henrique fazer ótima jogada individual deixando três marcadores para trás e servir Marcos Paulo, que teve o trabalho de tirar de Volpi para ampliar o placar e dar mais tranquilidade ao Flu.

Com o placar confortável, a agremiação das Laranjeiras passou a administrar o resultado, com toque de bola característico da equipe treinada por Fernando Diniz, hoje no São Paulo.

Se no primeiro tempo a equipe do Morumbi pouco ameaçou Muriel, o segundo tempo foi ainda pior. Com um Flu mais postado, a equipe paulista insistia na jogada aérea, mas todas sem sucesso, e ainda ouviu sua torcida gritar “olé” para o Flu, quando a equipe de Marcão ficou por mais de dois minutos deixando os paulistas na roda.

Com a vitória o Fluminense saiu do Z-4, empurrando o Botafogo que foi derrotado pelo Flamengo por 1 a 0 no estádio Nilton Santos para a temida zona. De quebra ainda ultrapassou o Cruzeiro, ambos com os mesmos 44 pontos mas o Flu vantagem pelo número de vitórias: 9 a 8 em favor do Flu.

O Fluminense volta a campo agora no próximo domingo (10) quando enfrenta o Internacional, no Beira Rio, já o Cruzeiro terá o clássico diante do Atlético Mineiro, enquanto o Botafogo recebe o Avaí no Nilton Santos.

Fluminense estuda contratação de zagueiro do Vitória

As lesões de Matheus Ferraz e Léo Santos e a saída de Paulo Ricardo para o Goiás reduziram as opções de Fernando Diniz para a zaga. Com só três zagueiros à disposição no elenco, o Fluminense estuda a contratação de Ramon, sem espaço no Vitória.

A diretoria, no momento, dá prioridade à iminente venda de Luciano pelo Leganés-ESP ao Atlético-MG e à chegada de Nenê, que negocia rescisão com o São Paulo para assinar até o fim de 2020. No entanto, pretende formalizar proposta pelo defensor na próxima semana. Com apenas mais seis meses de contrato com Ramon, o clube baiano não se opõe à negociação.

Revelado pelo Bahia de Feira, o jogador de 24 anos pertence ao Vitória desde 2015. Saiu do Barradão somente uma vez na carreira, em 2017, quando emprestado a clube israelense. Atuou em 12 jogos na temporada.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: LANCE!

Marlon está próximo de deixar o Fluminense

Mais um jogador está de saída das Laranjeiras. Segundo informações, o lateral-esquerdo Marlon está por detalhes de ser anunciado como novo reforço do Vitória.

A equipe baiana provavelmente contará com o jogador de 22 anos até o fim do ano por empréstimo, uma vez que ele perdeu espaço com Fernando Diniz já que Caio Henrique vem atuando na posição e Mascarenhas é o reserva imediato, sendo assim, ficando como terceiro jogador da posição.

Marlon será o sétimo jogador da posição à desembarcar no Barradão em 2019. A posição é um dos principais problemas do time na temporada até o momento.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Crédito da Foto Inicial: Lucas Merçon/FFC

VITÓRIA, VIRANDO A NOITE

Guerreiros da Sul!    Tricolores e Tricolindas!     Só consegui me recuperar da Vitória de quinta agora, que espetáculo, orgasmo múltiplo e possante.   Presenciei em 1983 o gol de Assis, 1995  o gol de barriga do Renato Gaúcho.   Ficou aquela lacuna dos anos 2.000.  E agora em 2019, o gol de  Luciano, um jogador que achava lento, acomodado, um Júnior Dutra melhorado que a cada jogo que passa me surpreende.   A felicidade e o sorriso voltaram ao meu rosto  no jogo  do  FLU,  61 % de posse de bola em um Fla-Flu, futebol alegre e ofensivo, indo para dentro do adversário não importando quem seja.  Há quantos anos, não via esse espírito de entrega e comprometimento em um time, hoje ficamos até o último minuto do segundo tempo acreditando.    No último Fla- Flu fui embora no início do segundo tempo, com vergonha, direto para casa, desliga celular, se esconde, evita pessoas, que sofrimento.   Mas quinta,  Ah quinta, só cheguei em casa na sexta, as cinco da manhã, rodando todos os bares de madrugada em NIKITY….quando via um mulambo de vermelho e preto sentado com um copo de cerveja, fazia questão de falar para ele:  E, hoje não deu, né?  Time milionário, caiu de quatro.

Então,  sentava na mesa ao lado, e,  no intervalo de cada música do bar, praticamente,  de 4 em 4 minutos aquele grito,  NENSE .… Todos riam muito, menos o mulambo, a cena se repetiu até ele pedir a conta e partir.    Aí, satisfeito, pedia  a minha conta também e partia a caça de outro bar com mais um mulambo perdido para zuar.    Tinha que mostrar a eles (mulambos) naquela noite, o que é ser FLUMINENSE.   O respeito voltou.

Que técnico esse Diniz!.   Lindo e emocionante,  vê lo correndo atrás do Luciano, comemorando o gol como um garoto.    O batizei de ” TIC TAC do DINIZ “.   Sensacional !!!!.   Enfim, hoje temos uma  equipe de futebol fechada,  com o estilo de jogo proposto pelo técnico.   Só espero que,  a diretoria faça a sua parte, mantenha os salários em dia.   É o mínimo necessário,  para dar suporte e tranquilidade a equipe.   No mais,  Saudações Tricolores.   Vitória na Guerra !

Clubes da Série B procuram o Fluminense por Daniel

Apenas com Sornoza como armador no elenco, o Fluminense pediu o retorno de Daniel, que estava emprestado ao Oeste, em meados do ano. Mas sua esperança de, enfim, ser valorizado nas Laranjeiras acabou, mais uma vez, frustrada. Foram só seis jogos desde agosto. 

Como parece esquecido no clube, Daniel vem sendo especulado no mercado da bola da Série B. Criciúma, Vitória e mesmo o Oeste se mostraram interessados na contratação, por empréstimo, do meia de 22 anos. As primeiras conversas, inclusive, começaram a acontecer.

Ricardo Rocha, assessor de futebol, e Doriva, treinador, apoiam a ida do jovem para o Criciúma. Por sua vez, o Oeste se agrada do jogador e, quando faz contato com o Fluminense, menciona a chance de um quarto empréstimo. Paralelamente, os times, que mantêm boa relação, decidem o futuro do goleiro Rodolfo.

Embora considere a saída de Daniel, o Tricolor prefere definir a questão a partir da chegada do novo técnico. Por exemplo, se houver acerto com Fernando Diniz, o meia, provavelmente, permanecerá na equipe, uma vez que os dois trabalharam juntos no Oeste, em 2016.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Jadson fala sobre salários atrasados após empate

Saudações Tricolores:

 

O volante Jadson falou na zona mista após o empate contra o Vitória em 0 x 0 no campeonato Brasileiro. Jadson falou a partida de ontem, situação do time, atrasos de salários e projetou o jogo contra o Botafogo: 

Empate contra o Vitória:

“A gente fez uma boa partida, criamos muito. O Vitória não chegou a nos incomodar. Infelizmente, pecamos no último passe. Temos que trabalhar para isso não voltar a acontecer no clássico. Quem tiver mais capricho, vai vencer”.

“Temos que ter tranquilidade, cabeça no lugar para avaliar. Precisamos aumentar nosso rendimento e pontuação. Não adianta ter cabeça quente e arriscar perder todo o trabalho”.

Sobre o clássico contra o Botafogo:

“Temos que ter frieza, inteligência. Não adianta chegar no domingo e querer ganhar de qualquer jeito. Tem que ter equilíbrio, nos preparar e recuperar. Te tar fazer um bom jogo, organizado e com a cabeça no lugar”.

Sobre salários atrasados:

“Situação chata. Todo funcionário trabalha com a intenção de receber. Mas essa parte não me compete. O presidente fez certo em comunicar, tem falado com a gente. Temos que nos doar, porque é a camisa do Flu e nossa carreira em campo”.

“Ninguém quer saber se tem salario atrasado, querem saber de resultado. Poderia estar melhor, é nítido. Mas procuramos fazer nosso melhor”, diz Jadson.

Ontem, Jadson ficou no banco de reservas por opção do treinador Marcelo Oliveira que escalou Dodi em seu lugar.

Por Thiago Caruso

 

 

Subindo: Fluminense vira pra cima do Vitória no Barradão e chega a sexta colocação

Tricolor mostrou força mesmo fora de casa e foi superior durante maior parte do jogo.

Vitória e Fluminense se enfrentaram na tarde deste domingo (05) diante de forte chuva em Salvador. O Vitória chegou a abrir a contagem com Neílton, mas Pablo Dyego e Gilberto viraram o placar para o Tricolor, que chegou a sua segunda vitória no Brasileirão em quatro rodadas disputadas.

Jogando sob seus domínios, o Vitória começou o jogo pressionando a equipe carioca e aos 20 minutos Neílton abriu o placar. Jefferson recebeu na linha de fundo e cruzou rasteiro. A zaga não cortou e Neílton encheu o pé da entrada da pequena área, com um chute inapelável para Júlio César.

O Fluminense reagiu bem ao gol sofrido e passou a dominar a partida, e, embora tivesse mais posse de bola, não conseguia furar a boa marcação da equipe baiana, que passou a explorar os contra-ataques. A melhor chance do Tricolor veio em cobrança de falta de Marlon, defendida por Caique, mas não consegui ameaçar de fato os donos da casa.

Na volta do intervalo, o técnico Abel Braga lançou Pablo Dyego no lugar de Marcos Júnior. Contudo, a mudança que parecia não ter surtido muito efeito foi decisiva no empate tricolor, que veio exatamente com Pablo Dyego, que após passe de Pedro bateu cruzado contando ainda com o desvio em Rhayner para vencer Caique.

O Fluminense continuou em cima do rubro-negro baiano em busca da virada que quase veio no lance seguinte, quando Renato Chaves desviou de cabeça e Frazan desviou já na pequena área para grande defesa de Caique. A bola ainda sobrou para Richard que buscou Pedro na área mas de carrinho o goleiro do Vitória voltou a salvar os donos da casa.

A virada no entanto, veio aos 40 minutos com Gilberto. Sornoza cobrou escanteio e o lateral apareceu livre na risca da pequena área para virar o jogo.

O Vitória não demonstrou forças para reagir e o jogo terminou com o triunfo do tricolor, que com o resultado chegou a sexta colocação com sete pontos. Já o Vitória ocupa a penúltima colocação com apenas um ponto conquistado.

 

ST,

Douglas Wandekochen

 

foto: Futebol Baiano

Abelão crê em dificuldades contra o Vitória e evita elencar pretensões do Flu

Logo mais, às 16h, o Fluminense entra em campo pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida, que é contra o Vitória, em Salvador, promete ser complicada e deve provocar fortes emoções nos corações tricolores. É como analisou Abel Braga, durante entrevista na sexta-feira.

– O Vitória, dentro de casa, é muito complicado. Tem feito bons resultados fora. Está com uma equipe jogando de uma maneira muito rápida, no contra-ataque, na roubada de bola. Temos que ter muito cuidado. É uma equipe que sempre ataca com quatro ou cinco jogadores. Estamos trabalhando muito essa semana em campo reduzido. Porque se forçarmos uma jogada e perdermos a bola, isso pode custar caro – afirmou.

O clima na Bahia, destacou Abel, se tornou um trunfo do rival. As temperaturas elevadas refletem no desempenho, principalmente, do visitante. Ou seja, o treinador acha que jogar por lá é parada dura.

– É sempre difícil. Independente do clima, mesmo quando chove em Salvador, você sente muito abafado. O Vitória usa muito bem isso. E o time é treinado pelo Mancini. É um time de qualidade. Tem uma torcida que empurra. Jogar na Bahia é sempre difícil, mas estamos preparados. É mais um jogo para sofrer – disse.

As primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro puseram a qualidade do time à prova. De cara, Corinthians, atual campeão, Cruzeiro, candidato ao título deste ano, e São Paulo. De nove pontos disputados, quatro conquistados. O empate domingo passado, no duelo com o SP, é encarado como um resultado ruim e precisa ser compensado. O que aumenta a necessidade do triunfo sobre o Vitória.

– Já merecíamos, no mínimo, um ponto contra o Corinthians, no primeiro jogo. Aquele resultado não me convenceu até agora. Volto e meia peço para o observador técnico colocar os melhores momentos. Vamos jogar da mesma maneira, procurando o gol, com os laterais subindo. Não vai mudar.

Questionado sobre quais são as pretensões do clube no Brasileirão 2018, Abelão recuou. No entanto, garantiu espírito competitivo em cada partida.

– Na tabela não sei te falar. Mas uma coisa eu garanto: o Fluminense vai brigar por cada palmo do campo, cada bola. Sabemos que alguns jogadores estão se destacando, nem sempre os mesmos, varia. Mas sabemos que nosso forte é o coletivo. E que o grande mérito disso é uma força de vontade incomum, é alma, agressividade, competitividade. Não adianta fazer projeção. É jogo a jogo, é cada bola, em cada jogo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Top