fbpx

Presidente do Madureira considera posição do Flu como ‘picuinha’, em relação a volta do futebol

Em entrevista ao canais Esporte Interativo, o mandatário da equipe da zona norte do Rio, Elias Duba, criticou as decisões de Botafogo e Fluminense, que são contrários à retomada dos treinos nos CT’s e do Campeonato Carioca em meio à grave crise, enfrentada pelo estado, em razão da pandemia de coronavírus.

Em relação ao clube alvinegro, Duba diz entender o posicionamento, pois, segundo ele, a equipe de General Severiano estaria eliminada do Carioca, o que matematicamente não é verdade, já que o time tem chances de classificação na Taça Rio.

Ao comentar sobre a postura do Tricolor ele classificou como: “picuinha”

Entendo a situação do Botafogo não querer voltar. Eles não têm nada a receber e estão eliminados do campeonato, era mais fácil usar o argumento verdadeiro de que não têm mais nada a fazer e não querem precipitar a volta. O Fluminense, na minha opinião, é picuinha. O Mário Bittencourt participou de todas as primeiras reuniões e sempre esteve de acordo em voltar, quando as autoridades permitissem. Ninguém recebeu convite especial para essa reunião com o prefeito, todo mundo foi convidado via whastapp pelo presidente da FERJ – disse Elias Duba.

Nesta segunda-feira (25), o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, autorizou a volta das atividades presenciais nos Centros de Treinamento, porém à princípio, os clubes só podem fazer atividades médicas e de “fisioterapia com bola”. Os treinos coletivos estarão liberados a partir de junho.

Fonte: Explosão Tricolor
Foto: Rodrigo Oliveira

Postura de Mário Bittencourt é elogiada por jornalistas

A postura do presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, em relação a volta do futebol, no qual se mostra contrário neste momento vem sendo elogiada desde o início por grande parte da torcida, que ganhou agora o apoio de alguns jornalistas do meio, que por meio de suas redes sociais, elogiaram a postura do presidente:

Foto em destaque: Reprodução/Vídeo

Presidente tricolor se mantém firme sobre volta do Cariocão: “se não der pra terminar no campo, que seja encerrado”

Em participação no programa Bem Amigos, dos canal SporTV, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, voltou a reafirmar o posicionamento do clube sobre a volta do futebol neste momento. O mandatário ainda deixou bem claro a intenção do Fluminense em terminar o Campeonato Carioca no campo, porém levantou a possibilidade de encerrar a competição sem que haja um campeão

Reunião entre Prefeitura e equipes define volta de treinos e jogos do Carioca

A reunião entre a Prefeitura do Rio de Janeiro e os clubes do estado, que aconteceu neste domingo (24) sem a presença de Botafogo e Fluminense definiu não só a volta dos clubes aos treinos, como tem em estipulou uma data para a bola voltar a rolar pelo Campeonato Carioca.

A medida deverá ser anunciada de forma oficial nesta segunda-feira (25). Com a volta aos treinos sendo confirmada para terça-feira (26) e, com isso, a tendência é que o Estadual seja reiniciado no dia 14 de junho.

Vele destacar que tanto Fluminense quanto Botafogo já haviam se mostrado contrário ao retorno das atividades desde o dia 8 de maio quando se recusaram a assinar a carta de recomendação da Ferj, autorizando a volta das atividades.

Além de representantes dos clubes, o encontro também contou com a presença do prefeito do Rio, Marcelo Crivela e do presidente da Ferj, Rubens Lopes.

Foto em destaque: Divulgação/Ferj

Fluminense emite nota se posicionando sobre reunião da volta do futebol

O Fluminense emitiu na tarde deste domingo (24) uma nota oficial na qual explicava o motivo de não ter comparecido a reunião entre clubes e Prefeitura, agendada exatamente para este domingo (24).

Segundo a nota, o clube não compareceu por não ter recebido nenhum convite formal do governo, tendo esse convite sendo feito por whatsapp e pela Federação do Rio, a Ferj.

Veja a nota na íntegra:

O Fluminense Football Club esclarece que não recebeu qualquer convite formal do gabinete do Prefeito do Rio de Janeiro para uma reunião com os clubes de futebol. A convocação, feita por whatsapp, partiu da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, sem que houvesse informação e muito menos discussão prévia do tema a ser tratado com a autoridade máxima do governo da capital. O Fluminense optou por manter-se apenas em observação, sem que isso signifique qualquer posicionamento em relação à reunião, pois dela não tem informações.

Se há um posicionamento do Fluminense, esse sim reafirma-se agora nesta nota, é a decisão de somente voltar ao futebol quando as autoridades de saúde emitirem parecer respaldado pela comunidade científica autorizando a volta dos treinos presenciais e jogos, com indicações claras de procedimentos e normas.

O Fluminense reitera seu respeito à independência das decisões tomadas por outros clubes e se coloca, de forma solidária, à disposição para os debates em torno do tema, desde que se deem no ambiente da ciência. E tomando por base uma visão clara da realidade do que está ocorrendo nos hospitais da rede pública de saúde onde é tratada a maioria de nossos torcedores, bem como de projeções feitas por autoridades sanitárias competentes sobre a curva de contaminação, sobre o comportamento social  diante da necessidade de isolamento, a perspectivas de tratamentos e formas de prevenção. Enfim, das melhores informações disponíveis sobre a possibilidade de retorno de jogos.

 O Fluminense entende a necessidade de volta dos jogos em razão de pressões econômicas, sobretudo entre os clubes de menor possibilidade financeira. Tanto assim que vem ele mesmo promovendo uma série de ações, como o lançamento de seu novo uniforme, descontos de incentivo para os sócios permanecerem em dia com seus mensalidades, ações de aproximação e exposição da marca de nossos patrocinadores, entre várias outras que ainda estão por vir. Mas não dará um passo em direção ao campo enquanto não houver certeza sobre as condições seguras para nossos atletas, nossos profissionais e nossa torcida.

Nosso entendimento é de que jogos sem público não impedem aglomerações. Se não forem ao estádio, as pessoas se juntarão em frente a televisores de bares, que insistem em permanecer abertos, sobretudo nas periferias, onde o isolamento social tem tido menor adesão. O futebol, por movimentar paixões, deve estar ciente de seu compromisso social e não alimentar ansiedades.

O retorno aos treinos e campos não é apenas uma questão de saber como se poderá voltar. Ou seja, não se trata apenas de protocolos médicos. É também uma questão de quando, pois precisam ser colocadas em perspectiva todas as influências que o futebol pode causar. Saber o momento certo da curva de contaminação e nos locais certos são fatores que devem se somar ao “como” que está expresso em protocolos.

Sabemos que, como clube, estamos bem acompanhados nessa discussão. E não falo apenas dos clubes que mantém posição igualmente firme pelo não retorno neste momento. Estamos acompanhados de milhares de profissionais de saúde, cientistas e gestores públicos que conhecem melhor do que todos a gravidade da pandemia e suas consequências para a vida de todos.

Fluminense mantém postura firme e não deve participar de reunião sobre a volta do futebol

O prefeito do Rio de Janeiro convidou representante de 16 clubes do estado para uma reunião no próximo domingo (24), onde o tema principal é o retorno dos times aos treinos, além da volta do Campeonato Carioca.

Apesar do convite, o Fluminenses não deve enviar nenhum representante ao encontro, assim como o Botafogo, pois ambas as equipes entendem ser precipitada uma volta as atividades nesse momento.

Vale destacar que as duas equipes também já tinham se manifestado contrários de um possível retorno, quando se recusaram a assinar a carta de recomendação da Ferj indicando a volta aos treinos a partir desta segunda-feira (25).

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Governo do Rio planeja volta do futebol com torcida, já durante primeira fase de flexibilização

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, incluiu em seu pacto social pela saúde e pela economia do estado o retorno de eventos esportivos, como o futebol, com público de até 50% da capacidade dos estádios.

Apesar de se basear em três bandeiras de flexibilização a partir de dados da curva de contágio da covid-19 e não ter uma data limite, o plano tem gatilhos de flexibilização, e, já na primeira fase prevê o retorno do público aos estádios, desde que seja respeitado o distanciamento social de dois metros na “bandeira amarela”, que depende da taxa de ocupação dos leitos de UTI chegar entre 70% e 90% (está atualmente em 86%) e a curva de crescimento de novos casos cair na média semanal.

O pacto que foi feito pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais (Sedeeri) em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, inclui a aplicação de testes em todos os profissionais envolvidos, além da aferição de temperatura dos torcedores e profissionais de imprensa, além da desinfecção total dos estádios e materiais esportivos.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fonte: UOL Esportes

Bolsonaro volta a se posicionar a favor da volta do futebol: “está nas mãos do prefeito”

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a se manifestar a favor da volta do futebol. Em live realizada na noite da última quinta-feira (21) Bolsonaro disse inclusive que fez esse apelo ao prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivela, durante reunião que tiveram no Palácio da Alvorada, em Brasília.

Bolsonaro chegou a dizer o inclusive que os próprios jogadores já são favorável a um possível retorno, deixa do o tem “nas mãos” do prefeito.

Em um primeiro momento, tinha muito jogador que era contra. Agora já tem um outro entendimento dos jogadores, obviamente sem torcida. Está nas mãos do prefeito Marcelo Crivella isso – disse o presidente.

Bolsonaro sinalizou ainda para uma possível liberação da prática esportiva por parte do Ministério da Saúde:

No que depender do Ministério da Saúde, o ministério também é favorável a dar um parecer nesse sentido. Para que a gente possa assistir a um futebolzinho no sábado, domingo. Os jogadores querem. O que interessa é isso: os jogadores querem voltar a jogar. E afinal de contas, não sabe até quando vai esta pandemia e todo mundo pede por isso aí. Espero que o Marcelo Crivella resolva autorizar a volta do campeonato Carioca. Espero que o mesmo aconteça nos demais estados – completou.

Foto em destaque: Reprodução/TVGlobo

Vice do Flu, Celso Barros classifica reunião entre presidentes de Flamengo e Vasco com Bolsonaro como “desserviço à população”

Os presidentes de Flamengo e Vasco se reuniram na última terça-feira (19) com o presidente da República, Jair Bolsonaro, tendo como tema principal o retorno imediato do futebol brasileiro.

O encontro gerou grande polêmica, com diversas opiniões contrárias a atitudes, como a de Celso Barros, médico e vice presidente eleito do Fluminense, que por meio de suas redes sociais, classificou como: “desserviço à população” o encontro.

Celso Barros ainda aproveitou a oportunidade para dar uma “cutucada” no governo federal, que vem se mostrando extremamente contrário as medidas de isolamento social, chegando inclusive a citar uma das falas mais polêmicas do presidente quando comparou em discurso oficial a Covid-19 a uma “gripezinha”.

Presidentes de Flamengo e Vasco se encontram com presidente e tentam acelerar a volta do futebol

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim e do Vasco, Alexandre Campelo, se reuniram na tarde desta terça-feira (19) com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, para tratarem sobre a volta do futebol no país.

Dentre os assuntos, os dirigentes levantaram a possibilidade de levar os treinos para Brasília durante a pandemia, onde os clubes poderiam usar as instalações do estádio Mané Garrincha, que conta com o respaldo do governador do estado, Ibaneis Rocha, que é flamenguista fervoroso, mas tem boa relação com ambas as diretorias.

Durante o encontro, Bolsonaro recebeu de presente a camisa branca da nova coleção de uniformes do Flamengo, enquanto seu filho, Flávio Bolsonaro, que também participou do encontro, recebeu a do Vasco, quando ambos posaram para fotos com os “presentes”.

Vale destacar que o Fluminense vem se colocando contra a volta do futebol sem antes receber todas as certificações de segurança por algum órgão de saúde.

Foto em destaque: Reprodução

Fonte: Globoesporte.com

Top