Flu tem dois jogadores na Seleção do Campeonato Brasileiro Sub-20

Eliminado nas quartas de final da competição, o Fluminense teve dois jogadores na Seleção do Campeonato Brasileiro Sub-20. Wallace e John Kennedy foram escolhidos pelo Blog Tatiquês (e outros papos), do jornalista Marcelo Raed, do SporTV, para compor o melhor time do campeonato.

Confira um pouco sobre os dois Moleques de Xerém:

Wallace (volante do Fluminense): meia de marcação e ótima chegada ao ataque, foi o termômetro do meio-campo do Fluminense. Com três assistências e um gol, participou diretamente em 12% dos gols da equipe na competição, número alto para um volante.

John Kennedy (atacante do Fluminense): vice-artilheiro da competição com 11 gols em 14 jogos, foi um dos principais jogadores do campeonato, o que lhe rendeu a ida para os profissionais ainda com 18 anos.

Fonte: GE

Foto: Maílson Santana/ FFC

Ex-Flu, Wallace está sem time para 2020. Seria uma boa? – Opinião de João Eduardo Gurgel

Uma das grandes promessas de Xerém no início da década, o lateral direito Wallace está atualmente sem clube para a temporada de 2020. Em 2019, o jogador acertou com o Figueirense, porém, não chegou a entrar em campo pelo time de Santa Catarina e esse ano, não ficará com o jogador.

Wallace - Figueirense
Wallace no Figueirense (Foto: Divulgação/Figueirense)

Hoje, aos 25 anos, Wallace não tem um clube para 2020 ainda. Depois de ser comprado pelo Chelsea por quase 15 milhões de reais em 2012 (5,5 milhões de euros, aproximadamente R$ 14,3 milhões na época), o jogador ainda viveu momentos turbulentos quando atuou pelo Vitesse-HOL, quando foi detido pela polícia holandesa por suspeita de envolvimento em um crime sexual.

Depois, ele chegou a atuar pelo Capri, da Itália e até no Grêmio, mas nunca chegou a completar nem 15 jogos por esses clubes.

Tentando um recomeço na vida e na carreira, acho que seria uma boa opção para o Flu para 2020, uma vez que Gilberto, apesar de ser o titular, além de não ter muita confiança da torcida, tem um grande histórico de lesões. Julião, reserva imediato, está no nível de Wallace ou até em um degrau mais baixo.

O garoto de Xerém, exatamente por ser uma cria das categorias de base tricolores e o Flu tem esse histórico de trazer jogadores simpatizantes de volta ao clube, acho que seria uma forma tanto de ajudar o jogador, quanto ajuda dentro de campo. Além, claro, de ter a simpatia e carinho da torcida.

Wallace em treinamento no Flu (Foto: Estadão)

Nessas horas, que é importante o carinho do clube formador e a gratidão do atleta em querer, além de se recuperar pessoalmente, também futebolisticamente. Um jogador com 15 jogos pelas seleções brasileiras de base, não merece uma segunda chance no tricolor?

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Crédito da Foto Inicial: Dhavid Normando / Photocamera)

Aos 18 anos, meia Wallace despertou o interesse do Liverpool e do São Paulo; o jogador conta sobre sua infância difícil e a mudança que sua vida passou

Wallace viu seu pai e sua mãe tentarem o tráfico como o único caminho possível. Aos três anos, já era órfão de pai, que fora assassinado a dez metros do portão de casa.

É assim, de forma direta e sem demonstrar dificuldade para tocar no assunto, que o jovem resumiu a mudança pela qual sua vida passou. Dona Margarida, a avó paterna, o criou sozinha. Até conhecer Igor Manhães, treinador de futebol que trabalhava num projeto social na mesma cidade.

— Não sei se Papai do céu disse “aparece”. Mas fato é que eu apareci na vida dele. E consegui dar um caminho bom. Se pensar na estrutura que ele tinha antes, poderia ter dado tudo errado. E tem ainda aquela questão que falam do sangue. Mas conseguimos dar toda ajuda. A família, as pessoas em volta, o clube… — conta Manhães, que abrigou Wallace ainda criança em sua casa e ocupou a figura de pai em sua vida.

Com um pai treinador, o futebol virou uma opção natural. Seus primeiros chutes foram no Profute, de Itaboraí. Até que, num amistoso, chamou a atenção do Fluminense. Há sete anos em Xerém, o meia de velocidade já acumulou elogios, títulos e passagens pelas seleções de base.

Foi este sucesso que o fez quase sair dos trilhos em 2016, ano marcado pelo deslumbramento e por muitas brigas tanto dentro quanto fora de campo. Não gostava de ser repreendido nos treinos: atirava o colete na grama e saía xingando. Uma rebeldia que só foi controlada quando Manhães, comissão técnica da base e até a psicóloga do Fluminense entraram em cena.

— Deixei subir à cabeça. Todo mundo puxou minha orelha, porque só fazia merda. Era brigão, problemático. Vi que estava errado e me prejudicando — diz Dáblio.

Com o foco retomado, chamou a atenção do Liverpool. O clube inglês chegou a pedir que um de seus olheiros o observasse na última Copa SP. Mas, na operação que resultou no empréstimo do volante Hudson, o São Paulo ganhou a prioridade de compra.

Fonte: O Globo

Flu oferece “jóias” de Xerém para tentar manter Allan em definitivo

O Fluminense segue trabalhando para manter o volante Allan para 2020. O jogador que esteve no Flu em 2019 emprestado pelo Liverpool, teve seu contrato de empréstimo se encerrando agora no final de ano e teria que voltar ao clube inglês.

Vontade tanto do jogador como do Flu na permanência do volante em Laranjeiras, o Liverpool já descartou um novo empréstimo e só considera a venda do brasileiro que viajou inclusive para Inglaterra para tentar a liberação junto aos Reds.

Vivendo ainda uma difícil situação financeira, o Fluzão busca meios para assegurar um dos seus principais jogadores da temporada de 2019 e, deve oferecer a prioridade de compra de duas “jóias” de Xerém para assegurar a permanência de Allan por um valor mais baixo.

Destaque na base, Wallace chegou a deixar Marcos Paulo no banco durante atuações no sub-17. (Foto: Mailson Santana/FFC)

Destaques da base de Xerém, o volante André e o meia Wallace já vem sendo observados pela equipe inglesa que deve inclusive enviar representantes para acompanhar os jogadores mais de perto durante a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior, em janeiro.

Volante, André vem tendo seguidas convocações à seleção sub-20 e é nome praticamente certo nos profissionais em 2020. (Foto: Mailson Santana/FFC)

Wallace é tido como a grande “jóia” da base, tendo uma multa rescisória em cerca de € 30 milhões (aproximadamente R$135 milhões). André por sua vez conta com recentes convocações a seleção sub-20 e ambos devem ser promovidos ao time principal após a disputa da Copa São Paulo.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fonte: UOL Esportes