fbpx

Torcedores se reúnem com jogadores e dirigente para conversa sobre campanha do Fluminense no Brasileirão

Cerca de dez torcedores foram ao CT e comandaram protesto contra a má campanha do Fluminense no Brasileirão, na reapresentação após a derrota por 1 a 0 para o Avaí, no Maracanã. Digão, Nenê, Wellington Nem e Paulo Angioni, dirigente do clube, conversaram com o grupo na entrada da sede de treinos.

O presidente Mário Bittencourt e o vice Celso Barros não estavam no local no momento da reunião. Após o jogo de segunda-feira, tricolores precisaram ser contidos pela segurança ao tentarem invadir o Portão 2, área de onde sai o ônibus da delegação.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: GloboEsporte.com.

Wellington Nem garante motivação para tirar Fluminense do Z4: “Podemos sair dessa”

De volta ao clube por empréstimo, atacante afirmou que vai “trabalhar e botar a cara”, e pediu que a torcida siga unida ao elenco

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado por empréstimo até o final do ano junto ao Shakhtar Donetsk-UCR, Wellington Nem ganhou sua primeira chance no time titular contra o Avaí. O atacante tentou construir jogadas, costurar a defesa adversária, mas não conseguiu ser efetivo o suficiente para evitar a derrota por 1 a 0 em pleno Maracanã. Com o resultado, o Fluminense se manteve na 18ª colocação do Campeonato Brasileiro e viu a distância para o Cruzeiro, primeiro time fora do Z4, aumentar para seis pontos.

Após a partida, Nem destacou que a equipe não pode abaixar a cabeça e, mais do que nunca, desanimar. O jogador garantiu que vai lutar pelo Fluminense e pediu que a torcida se una ao elenco para sair dessa situação tão complicada dentro do campeonato. Para ele, sem os tricolores fica mais difícil ainda.

“Agora é todo mundo se juntar, bater no peito, assumir a responsabilidade, ser homem – não tem moleque – e tirar o Fluminense dessa situação. Só assim vamos sair. Se desanimar, baixar a cabeça, fica pior a situação. Se estamos trabalhando, temos que trabalhar o dobro para poder sair dessa situação que o Fluminense não merece. Vou trabalhar, botar a cara, para tirar o Fluminense dessa situação. E peço apoio da torcida. Se todos nos juntarmos, podemos sair dessa. Se um abandonar o barco – torcida ou jogador -, fica pior ainda”, afirmou.

João Pedro ganha vaga de Pedro e Nem é testado entre os titulares; veja provável escalação do Flu

Fernando Diniz não poderá contar com Pedro, lesionado, nem com Nenê, expulso após o apito final na derrota para o Atlético-MG

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta sexta-feira (16), o Fluminense deu sequência à preparação para o duelo contra o CSA, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. As equipes se enfrentam no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. Para esta partida, o treinador Fernando Diniz terá dois desfalques. Pedro, lesionado, e Nenê, expulso após reclamar com o juiz depois do apito final na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG.

A atividade no CTPA foi fechada para a imprensa, mas conforme noticiou o Globoesporte.com, o técnico comandou um treino tático e esboçou a equipe que começará o jogo do final de semana. Para o ataque, João Pedro ganhou a vaga de Pedro, mas as mudanças não pararam por aí. Evoluindo fisicamente, Wellington Nem foi testado entre os titulares no lugar de Marcos Paulo, que caiu de rendimento nas últimas partidas.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Outro teste que Diniz fez durante a semana foi o de Caio Henrique no meio de campo e Mascarenhas na lateral-esquerda. Porém, é pouco provável que o treinador opte por esse esquema. O treino deste sábado irá definir a equipe e os relacionados para o embate com o CSA. Fica a expectativa em torno do atacante Lucão, recém-contratado pelo Tricolor. Treinando há duas semanas com o grupo, o jogador pode figurar na lista pela primeira vez.

Desta forma, a provável escalação do Fluminense é a seguinte: Muriel; Igor Julião, Nino, Digão, Caio Henrique; Allan, Daniel, Paulo Henrique Ganso; Marcos Paulo (Wellington Nem), Yony González e João Pedro.

Entrando aos poucos no time, Wellington Nem se vê melhor fisicamente e revela ‘coração de torcedor’

Emprestado ao Fluminense até o final do ano, atacante foi flagrado cantando junto da torcida em sua reestreia no Maracanã

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado por empréstimo junto ao Shakhtar Donetsk-UCR até o final do ano, Wellington Nem segue se condicionando e aos poucos vai entrando no time. Nos últimos dois jogos, o atacante entrou no segundo tempo e, apesar dos poucos minutos em campo, mostrou-se participativo. Visando uma vaga entre os titulares, o jogador disse estar melhor fisicamente e se entrosando cada vez mais com seus companheiros.

“Com o passar do tempo, estou ganhando ritmo, condicionamento físico e confiança. Estou conhecendo mais o grupo e acredito que só tenho a evoluir e melhorar. Nessa partida contra o Atlético-MG, já joguei mais tempo e me senti bem. Então creio que no próximo jogo já estarei melhor, para poder ajudar a equipe da melhor maneira possível”, disse.

Nem também comentou sobre o episódio em que foi flagrado cantando músicas do Fluminense junto da torcida enquanto aquecia. O fato aconteceu justamente em sua reestreia com a camisa tricolor, no Maracanã. O atacante afirmou esperar uma atmosfera parecida na partida contra o CSA, no próximo domingo (18), pelo Brasileirão.

“A sensação do último jogo foi a melhor possível. Fiquei arrepiado, cantei junto, estava dentro do campo, mas com o coração de torcedor (risos). Foi uma energia, uma empolgação enorme, absurda! Foi incrível e espero repetir isso outras vezes. Tenho certeza de que neste fim de semana vai ser melhor ainda, a torcida estará com o time, estará comigo, apoiando todo mundo desde o primeiro minuto. Esperamos que todos saiam contentes”, concluiu.

Fluminense promove trocas na lista de inscritos na Sul-Americana

Contratados em meados de julho, Nenê e Wellington Nem não puderam enfrentar o Peñarol, mas estão liberados para jogar a Sul-Americana a partir das quartas-de-final, na qual o Fluminense duelará com o Corinthians, nos dias 22 e 29 de agosto. O primeiro jogo é na Arena, em São Paulo, e o segundo, no Maracanã.

O meia e o atacante foram cadastrados, respectivamente, nas vagas de Paulo Ricardo e Luciano, que deixaram o clube. Por isso, Nenê fica com a camisa 4 e Nem, com a 18.


Relação atualizada:

Goleiros
1 – Marcos Felipe
25 – Agenor
27 – Muriel

Laterais
2 – Gilberto
12 – Marlon (Boavista-POR)
16 – Mascarenhas
21 – Igor Julião

Zagueiros
3 – Matheus Ferraz
7 – Frazan
22 – Nino
26 – Digão

Volantes
5 – Airton
6 – Allan
8 – Bruno Silva
13 – Caio
15 – Dodi
19 – Caio Henrique
29 – Zé Ricardo

Meias

17 – Paulo Henrique Ganso
4 – Nenê
20 – Daniel

Atacantes
9 – Pedro
10 – Pablo Dyego
11 – Yony González
18 – Wellington Nem 
23 – João Pedro
24 – Marcos Paulo
30 – Marcos Calazans (São Paulo)

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Chance de gol, carinho da torcida e “arrepio” em aquecimento: a reestreia de Wellington Nem pelo Fluminense

Conforme havia previsto na apresentação ao Fluminense, Wellington Nem reestreou pelo clube frente ao Internacional, derrotado por 2 a 1, neste sábado. E, pela primeira vez, jogou no Maracanã, diante de mais de 16 mil pessoas, que cobraram de Fernando Diniz a sua entrada no segundo tempo.

– Quando fui aquecer, escutei a torcida gritando meu nome, escutei a torcida cantando. Veio um filme na minha cabeça de 2012, quando eu estava aqui. Estava doido para entrar logo. A torcida gritar meu nome de novo parecia que eu estava subindo dos juniores e estreando no profissional. Uma alegria, uma energia… Cheguei a ficar arrepiado no aquecimento – revelou.

Até por ainda buscar a condição física ideal, o atacante atuou por só 12 minutos. Faz duas semanas que ele treina no CT, após dois meses de férias. Na chegada ao estádio, inclusive, avisou que não se considerava 100%.

– Eu estava vindo de férias. Treinei pouco com bola. Noção de jogo, de espaço é só com o passar dos treinos e dos jogos que vou ganhar. Hoje joguei 10 minutos e já estava com a perna pesada. Mas isso vou ganhando com o tempo. Mais uns três jogos vou estar, se Deus quiser, 100%.

Apesar do pouco tempo em campo, Nem quase marcou gol. Recebeu dentro da área, aos 42′, mas demorou a finalizar e foi travado. A cria de Xerém assumiu o erro e o associou à falta de ritmo.

– Quase saiu o gol. Faltou um pouco de ritmo de jogo. Se eu tivesse um pouco de ritmo de jogo, acho que eu teria feito o gol. O campo está meio judiado, tentei dominar para chutar. Demorei muito para chutar.

Emprestado pelo Shakhtar Donetsk até o fim do ano, Wellington Nem, curiosamente, substituiu Daniel. Vale lembrar que os jogadores seriam envolvidos em tratativa do Tricolor com os ucranianos pela volta do atacante, em 2016. À época, não houve negócio. Com ambos no elenco, Fernando Diniz diz que o time fica mais encorpado para a sequência da temporada.

– É bem acima da média. Wellington Nem é um jogador que viveu um momento brilhante no Fluminense e esperamos ajudá-lo a retomar aquela fase. Chegou muito bem, rapidamente se colocou à disposição para treinar. Muito importante ele ter entrado. Jogador que tem muito carisma com a torcida, empatia. Muito confiante que ele irá nos ajudar. À medida que você vai ganhando mais opções, o elenco vai ficando mais robusto. Você olha para o banco e vê que tem jogadores com esse porte para entrar, que podem definir o jogo a qualquer momento. Isso só deixa o Fluminense com mais chances de fazer uma boa campanha no Brasileiro – avaliou o técnico.


VEJA MAIS DECLARAÇÕES DE W. NEM:

Primeira vez no Maracanã: “O Brasileirão e o Carioca que conquistamos (em 2012) foram no Engenhão. É uma emoção diferente vestir a camisa do Fluminense no Maracanã, com tanta história que tem aqui. Fiquei muito contente.

Ansiedade da torcida por reestreia: “Allan estava sentindo e ele chamou o Airton. A torcida pensou que seria eu logo. Mas com calma, estava voltando de férias. Duas semanas treinando, apenas uma com bola com o grupo. Vou entrando aos poucos. Diniz sabe como fazer isso”.

Vitória contra o Inter: “O mais importante foi a vitória. Fazia um bom tempo que não ganhávamos no Brasileiro. Jogamos bem, fizemos o resultado. Agora é continuar, trabalhar cada vez mais. Fico muito feliz pelo grupo. É muito unido, muito brincalhão e trabalha muito”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Depois de uma semana de treinos, Wellington Nem é relacionado pelo Flu e pode fazer sua reestreia

Atacante vem demonstrando bom desempenho nos treinamentos e deve começar no banco contra o Internacional, no próximo sábado

Foto: Lucas Merçon / FFC

Emprestado pelo Shakthar Donetsk, da Ucrânia, ao Fluminense até o final desta temporada, Wellington Nem pode enfim fazer sua reestreia pelo clube. Treinando com o grupo há uma semana, o atacante vem mostrando um bom desempenho físico e ótimo poder de explosão, o que pode ter feito a diferença na hora da decisão do treinador Fernando Diniz, que vai optar por relacioná-lo para a partida contra o Internacional, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, neste sábado (3), às 19h (de Brasília).

Porém, de acordo com o Lance, a tendência é de que o atacante comece o jogo no banco de reservas, sendo opção para o segundo tempo.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Destaque na campanha do título nacional em 2012, Nem foi repatriado para ajudar no sonho da conquista da Copa Sul-Americana e para ajudar a equipe a se reerguer no Brasileirão. Atualmente, o Tricolor amarga a 17ª colocação, com apenas nove pontos conquistados em 12 rodadas.

Wellington Nem é regularizado no BID em dia de primeiro treino com bola com elenco do Fluminense

O contrato de Wellington Nem com o Fluminense apareceu no BID da CBF na tarde desta quinta-feira, dia em que ele treinou com bola com o elenco pela primeira vez desde o retorno ao clube. Faz uma semana que o reforço, emprestado pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, assinou até o fim do ano.

Imagem

Sem jogar desde maio, quando terminou a temporada europeia, Nem ainda busca a condição física ideal para reestrear com a camisa verde, branco e grená. Na apresentação, indicou que ficará à disposição de Fernando Diniz no começo de agosto.

– Ainda não estou pronto, faltam umas duas semanas. Vamos conversar aos poucos com a comissão técnica para ver quando vou poder jogar.

Diante da iminente saída de Luciano, o atacante de 27 anos vai escolher usar o número 18, o mesmo que vestiu nas conquistas do Carioca e Brasileirão de 2012. Liberado para entrar em campo pelo Campeonato Brasileiro, Wellington Nem deve ser inscrito nas quartas-de-final da Sul-Americana, se confirmada a classificação do Time de Guerreiros sobre o Peñarol.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Apresentado, mas ainda sem numeração: Nem revela qual camisa pretende usar

Foto: Mailson Santana/FFC

Apresentado oficialmente como novo jogador do Fluminense na tarde desta sexta-feira (19), o atacante Wellington Nem ainda não teve a sua numeração definida.

Porém, Nem não titubeou em sua primeira entrevista na volta e já deixou claro qual número pretende usar em seu retorno ao Tricolor.

Vou esperar o que vai acontecer com o Luciano. Se ele for embora, vou querer jogar com a 18. Foi importante para mim e para o Fluminense, mas vamos esperar – afirmou o jogador.

O número pretendido por Nem no entanto não deve ser problemas, uma vez que Luciano negocia sua saída do Tricolor e deve deixar as Laranjeiras nos próximos dias.

Vale ressaltar que o número 18, pretendido por Wellington Nem, foi o número que o atacante se destacou em 2012, quando foi campeão Estadual e Brasileiro pelo Fluzão. No ano seguinte ainda mudou para o número 11, antes de deixar o Flu rumo ao Shakhtar Donetsk-UCR.

Mário Bittencourt cita importância de Nem na negociação: “Fez de tudo para voltar”

Presidente do Fluminense fez questão de elogiar o staff do jogador e também seus parceiros de clube, Angioni e Celso Barros

Foto: Mailson Santana / FFC

O Fluminense apresentou oficialmente Wellington Nem como novo reforço para esta temporada. O atacante acertou seu retorno ao clube por empréstimo junto ao Shakhtar e vai vestir a camisa tricolor até dezembro. Após treinar junto de seus companheiros, o jogador de 27 anos concedeu sua primeira coletiva no CTPA, que contou com a presença de Paulo Angioni e Mário Bittencourt, dois nomes que foram cruciais para a volta do atleta, que é formado nas categorias de base de Xerém.

Presidente do Fluminense, Mário comentou sobre a negociação e não poupou elogios a Nem, que de acordo com o mandatário ‘fez de tudo’ para retornar ao clube das Laranjeiras. Além disso, destacou também a importância de Angioni e Celso Barros para formar uma estratégia que conseguisse fazer a história ter um desfecho positivo.

“O Wellington fez de tudo para voltar ao Fluminense. Tentamos outras vezes e sempre tivemos muitas dificuldades. Dessa vez, tentamos outra estratégia liderada pelo Paulo e pelo Celso. Todo o staff que cuida da carreira dele se empenhou demais também. A dificuldade foi ele sair de lá, porque a conversa entre Wellington e Fluminense foi fácil”, disse.

Top